A advertência trabalhista é uma prova documental sobre uma má conduta de um empregado dentro de um ambiente de trabalho e que pode levá-lo à demissão por justa causa. Além de testemunhas, as advertências são necessárias para que a situação inadequada para o cargo para o qual o indivíduo foi contratado seja comprovada. São muitas formas disso acontecer, mas algumas delas ganham destaque no mercado de trabalho.

O convite para o desligamento da empresa é um momento desagradável e algo que ninguém deseja para sua carreira. E quando a dispensa é por justa causa,  o empregado perde o direito a aviso prévio, 13º e férias proporcionais, além de não receber a multa rescisória de 40% do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

Além das advertências e testemunhas, vídeos e até e-mails já podem ser usados como provas perante o juiz. E de acordo com a lei, os principais motivos para alguém receber advertências e, consequentemente, ser demitido por justa causa são:

  • Violar regras morais ou jurídicas, como roubos, marcação de cartão de ponto de outro colega de trabalho ausente, justificação de  faltas com atestados médicos falsos. Neste caso, pode acontecer de haver advertências ou pode ser imediata a demissão, dependendo da gravidade do problema e do perfil do empregador, que pode dar uma chance ao empregado mas dar a advertência para registrar o problema;
  • Comportamento incompatível com as regras da sociedade e da empresa, colocando em risco a reputação da empresa e do empregador. Atos libidinosos dentro da empresa, usar o veículo do trabalho para benefício próprio e sem autorização do empregador e até o uso de roupas impróprias para o ambiente de trabalho podem ser motivos. A melhor forma para evitar isso, além de ser uma pessoa idônea e com comportamentos adequados, é ler o regimento interno da empresa no momento do contrato, evitando que você se surpreenda com uma advertência;
  • Negociações por conta própria, sem pedir permissão para superiores, trazendo prejuízo para a companhia, fortalecendo a concorrência ou trazendo benefícios apenas para você mesmo. Novamente, um caso que pode levar a demissão ou uma advertência, dependendo do perfil da empresa;
  • Repetição de faltas leves devido à negligência, preguiça, desleixo, má vontade, omissão, desatenção, entre outros. Este talvez seja o maior motivo para advertências. O senso comum e algumas partes da lei, ditam que após 3 advertências pelo mesmo motivos em um período de seis meses leva a demissão por justa causa;
Advertência trabalhista

As advertências são o cartão amarelo dentro de uma empresa, sendo o cartão vermelho a suspensão ou mesmo a demissão do emprego por comportamentos inadequados no ambiente de trabalho. (Foto: blogdocruz.blog.uol.com.br)

  • Revelar informações confidenciais sobre os negócios da empresa, ou outros assuntos relacionados à companhia. Contar segredos pessoais dos gestores não caracteriza justa causa, mas pode caracterizar uma advertência por criar fofocas dentro da empresa, desde que este comportamento indesejado seja relatado no estatuto da empresa
  • A desobediência ao seu chefe de forma verbal ou escrita pode levar a rescisão do contrato e ser considerado um ato de indisciplina e insubordinação. Porém, se comprovado assédio moral, a empresa pode sair no prejuízo. Por isso, a advertência pode ocorrer para registrar a exata desobediência e o contexto onde ela ocorreu;
  • Não comparecer ao trabalho sem justificar e comunicar ao chefe durante um período superior a 30 dias é considerado diretamente dispensa por justa causa. Se no caso o empregado estiver trabalhando para outro empregador no mesmo horário, a demissão pode ocorrer antes, sem necessidade alguma de advertência;
  • A fofoca, a agressão física e verbal podem levar a advertências ou à demissão por justa causa, dependendo da gravidade do problema, podendo ele ocorrer dentro ou fora do ambiente de trabalho entre dois empregados de uma mesma empresa;
  • A prática de jogos dentro do ambiente de trabalho, principalmente aqueles considerados de azar, é cabível de advertência ou demissão por justa causa, dependendo do julgamento do empregador para a situação.

Como podemos analisar, a advertência não tem um caráter punitivo. Seu caráter é educativo, afim de instruir o empregado ao comportamento desejado a partir do momento que deixa claro para ele que uma dada atitude é inadequada para o ambiente de trabalho. Porém, também vemos que a maior parte das advertências pode ser convertida em uma demissão por justa causa, sem a necessidade de tantas advertências. Leia sempre o estatuto de sua empresa, converse com seu chefe para saber o que ele espera de seus funcionários e mantenha um comportamento adequado, garantindo assim um ambiente saudável e sua estabilidade no emprego.

7 comentários para “Os 9 principais motivos para advertências trabalhistas!”

  1. Lucelia

    Gostei muito das explicações; mas poderia mencionar artigos da lei dando maior base.

  2. CARLOS ROBERTO DO NASCIMENTO

    De fato o artigo é bastante elucidativo. Entretanto, quando um carta de advertência ou qualquer outro tipo de penalidade é aplicada, há que se esclarecer a fundamentação legal e, nesse sentido, o artigo ajudaria ainda mais se os apresentasse.

  3. andre

    Qual a lei que protege o empregador, pois estou com uma funcionaria que agride verbalmente os outros e ainda me desrespeita e chega tarde todos os dias, forçando uma barra para ser dispensada pois a mesma já falou isso.

  4. admin

    Dê advertências cada vez que ela descumprir o horário de trabalho.
    Quando acumular advertências você terá embasamento para tentar uma demissão por justa causa.
    Procure adquirir provas do comportamento a partir de declarações de outros funcionários, assim você terá se protegido caso ela procure a justiça do trabalho.
    Não deixe de procurar um advogado da área para se certificar do que você pode fazer sem transgredir a lei que, infelizmente, é muita paternalista com relação ao funcionário!

  5. luciana

    Eu levei ja duas advertência,uma foi porque faltei mum sábado ,mais um dia antes ja tinha comentado com a minha gerente eu talves iria foltar isso foi em abril.A outra foi no dia do jogo que eu teria que entrar pra trabalhar mei hora depois e dai não deu para ir sendo so quee era pra entrar as 19:30 e sair as 22:00 isso foi no 4/7em julho. Queria sabet se esta certo isso obrigado.

  6. Aly

    Boa noite.sou supervisora comercial e estou com problemas com uma colaboradora que é minha subordinada mas me desrespeita. Nesta semana ela gritou comigo na área de vendas e se descontrolou. Porém a gerente nada fez. Esta não é a primeira vez sinto que a gerente protege ela…mesmo que eu esteja em um cargo de chefia.
    Se ela não quer aplicar a advertência que medidas posso tomar ? Pois estou sendo lesada e inclusive estou entrando em depressão com essa situação.
    As vezes sinto que a gerente é conivente a esse comportamento para fazer pressao para que eu peça demissão.

  7. admin

    Aly,
    Infelizmente existe muito comportamento assim no mercado de trabalho.
    Não há solução simples para estes conflitos, mas posso lhe indicar alguns artigos para leitura, que poderão lhe dar algum caminho a seguir.
    Espero que eles lhe ajudem.
    O importante é não se descontrolar e evitar ir para o mesmo nível da gritaria e falta de respeito.
    Segue a listagem dos artigos.
    http://www.pontorh.com.br/como-lidar-com-funcionario-problema/
    http://www.pontorh.com.br/como-lidar-pessoas-invejosas-trabalho/
    http://www.pontorh.com.br/os-sentimentos-negativos-no-trabalho-e-suas-solucoes/
    http://www.pontorh.com.br/demissao-por-justa-causa-12-motivos-garantidos/
    http://www.pontorh.com.br/quais-habilidades-coordenador-equipe-precisa/
    http://www.pontorh.com.br/o-que-e-assedio-moral/

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)