Entre um novo chefe, novos colegas de trabalho e uma nova cultura de escritório, suas primeiras semanas de trabalho devem ser um período estimulante em sua carreira. Infelizmente, isso nem sempre é o caso. Duas semanas depois de começar e uma voz dentro de sua cabeça está insistindo que o novo emprego não é bom. Se você foi contratado para um trabalho, mas na verdade é atribuído um papel totalmente diferente ou você está respondendo a um chefe tóxico, você quer sair o quanto antes. Outro motivo válido para considerar desistir de um novo emprego, mesmo que tudo esteja navegando normalmente, seria se você tivesse recebido uma oferta de emprego melhor de outro empregador.

Pedir demissão no período de experiência e o impacto na carreira

Independentemente do motivo pelo qual você está querendo sair durante o período de experiência, há possíveis repercussões para uma saída rápida. Você certamente não quer queimar pontes, e desistir cedo demais pode ter um impacto de várias maneiras.

Você pode nunca ter um relacionamento com seu gerente ou com a empresa daqui para frente, entrando na lista negra da empresa. E se você estiver em um campo de trabalho muito específico onde o network é forte, a notícia de sua saída inesperada pode se espalhar rapidamente. Se isso acontecer, os futuros gerentes de contratação poderão perceber você negativamente, o que pode dificultar sua próxima busca de emprego.

Sair abruptamente pode forçar seus colegas de trabalho a retomar o trabalho que você deixa para trás, o que pode gerar ressentimento entre as pessoas com quem você pode se cruzar no futuro.

Obviamente, a sua elegibilidade para o seguro-desemprego será nula se você voluntariamente deixar o seu emprego. Além disso, se você recebeu um bônus de assinatura ou reembolso por despesas de relocação, mas decidiu sair dentro dos primeiros seis meses a um ano, pode ser necessário pagar a empresa, de acordo com seu contrato. Você também perde direito a fazer o saque do FGTS e o recebimento de multa do FGTS (só é válido para quem já é empregado fora do período de experiência). Continua com o direito apenas de receber pelo que foi trabalhado (salário proporcional), décimo terceiro proporcional, adicional de 1/3 de férias proporcional.

Pedindo demissão na experiência

Ao sair de um período de experiência, é bom tomar cuidado para não queimar seu filme profissional. (Foto: TheJobNetwork)

Como fazer o pedido de demissão na experiência?

Por outro lado, há benefícios para abandonar um emprego mal ajustado. Além de recuperar sua saúde mental, é menos provável que você repita esse erro, o que significa que sua próxima pesquisa de emprego colocará a quantidade adequada de foco no ajuste cultural. Só você pode decidir se quer ficar ou sair, mas se já estiver pensando seriamente em desistir, provavelmente estará no meio do caminho já que a situação tem que ser bem extrema para chegar até esse ponto. Se você optar por fazer as malas, siga os passos abaixo para sair de um emprego no período de experiência:

Embora seja desconfortável, você deve dar a notícia ao seu chefe cara a cara para que seja visto como profissional. Não se esconda atrás de uma demissão por email. Em seguida, pergunte como gostaria que você notificasse o restante da equipe. Não diga aos colegas de trabalho que você está saindo até falar com seu chefe, ou criará um ambiente de fofocas.

Mantenha um tom positivo. Você não precisa explicar por que está desistindo. Deixe seu chefe saber que você pensou muito sobre a sua decisão e que você não quer causar nenhum dano à organização ou à equipe. Simplesmente diga que você acha que sair é a melhor decisão para você e para a empresa.

Elabore uma carta de renúncia. Muitos empregadores exigem documentação em papel para renúncias. Para poupar o seu tempo e de seu chefe, escreva uma carta de demissão e apresente-a ao seu gerente.

Depois de anunciar que você está saindo, ainda precisa dedicar 100% do seu tempo e esforço ao trabalho. Simplificando, não faça viagens. Fazer um esforço durante seus últimos dias no trabalho só pode ajudar sua reputação nessa situação delicada.

Sair da empresa no período de experiência e o aviso prévio

Quem pede demissão ou é demitido no período de experiência não precisa cumprir o aviso prévio. Porém, mesmo que não seja necessário e você tenha estado com a empresa por um curto período de tempo, dar um prazo antecipado para a empresa é recomendado, bem como acertar algum acordo para cumprir uns dias extras até um substituto ser encontrado. No entanto, esteja preparado para uma resposta negativa. A empresa pode querer que você saia imediatamente. Por isso, os passos acima são importantes para garantir que você agiu como um profissional durante todo o procedimento.

Fazer uma mudança de carreira ou emprego é uma grande decisão. Certifique-se de que você está equipado com os melhores conselhos e oportunidades de emprego. Pesquise, se mantenha informado sobre o mercado, e não pare de procurar. Um período de experiência fracassado pode ser um grande aprendizado profissional e te ajudar nos próximos passos para uma carreira de sucesso.

Como vocês lidam com contratos de experiência? Quais dicas dariam para quem precisa sair de uma empresa durante o período de experiência?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)