Estou compartilhando a história de um grande amigo que desistiu da engenharia. Conversando com ele e já sabendo que ele era muito bem pago, consegui entender melhor os motivos que o fizeram desistir dessa carreira e buscar um novo caminho e orientação. Entender um pouco da história dele com a engenharia vai ajudar a mostrar para muitos que nem sempre a Engenharia pode ser uma boa opção de carreira.

Qual a sua inspiração para se tornar um engenheiro?

No caso do meu amigo, computadores sempre o fascinavam quando jovem e ele tentava aprender mais sobre eles em todas as oportunidades. Quando terminou o ensino médio, decidiu se formar em Engenharia Elétrica e de Computação.

O curso de engenharia: como é?

Quando entrou no curso, estudar engenharia na faculdade era muito difícil e muitos estudantes não passavam do primeiro ano. A diferença de dificuldade e expectativas entre o ensino médio e a universidade era muito alto para muitos estudantes. Uma vez que ele superou o primeiro ano, porém, quase todos que ele  conhecia foram capazes de completar o curso.

Quanto tempo demora para completar o curso?

Aderindo a programas de extensão e grupos de estudos, você pode ter aulas de pós-graduação durante o último ano. Ele acabou fazendo isso e recebeu alguns créditos por ser monitor de algumas matérias, completando o curso em 5 anos ao invés de 6, que era a média de tempo cursado por boa parte dos alunos.

Como é o trabalho de um engenheiro?

Ele começou a trabalhar com uma grande empresa logo após a faculdade. Era, para ele, praticamente o emprego dos sonhos. Trabalhando com interfaces de memória (DRAM), e aprendeu muito sobre a forma como os chips de computador eram feitos. Os primeiros 7-8 anos foram ótimos para ele, porque era (e ainda é) muito bom no aspecto técnico do trabalho. Foi recebendo promoções rapidamente e o salário era ótimo, trabalhando 50-60 horas por semana. Foi cansativo, mas o trabalho ainda era divertido, porque ele estava aprendendo muitas coisas novas.

Formação do engenheiro

Além de um curso extenuante e de muitos estudos, a área de engenharia exige muitas qualificações do próprio profissional (Foto: www.theexamresult.com)

O plano de carreira de um engenheiro: como é?

Após mais de 10 anos a expectativa mudou um pouco. As empresas esperam coisas diferentes de seus engenheiros seniores. No nível mais baixo, era suficiente se destacar em seu trabalho, mas a empresa espera que seus engenheiros liderem e trabalhem com os outros. Ser bom tecnicamente não era mais suficiente.

Meu amigo era um líder terrível e as coisas não funcionaram muito bem quando ele tentou liderar equipes. Ele era (e ainda é) muito descontraído e não gosta de dizer às pessoas o que fazer. O trabalho já não era uma boa opção e essa é provavelmente a maior razão pela qual ele deixou a engenharia. Havia outros fatores também, mas esse plano de carreira com exigências cada vez maiores foi bem pesado para meu amigo.

Por que devo pensar duas vezes?

Meu amigo acabou se casando e não queria trabalhar longas horas com muita freqüência, de forma a ter tempo a dois de qualidade. Pouco depois de se casar, ele teve um filho e raramente trabalhava até tarde ou no fim de semana, ao menos que realmente tivesse que fazer alguma coisa. Isso não se compara favoravelmente com os engenheiros mais jovens que parecem gostar de trabalhar até às 22 h todos os dias.

As tarefas paralelas e a perda de interesse

Mais e mais tempo ele gastava em redação técnica, planejamento, apresentações, reuniões, aulas, etc. Ele gostava da parte técnica de engenharia e adorava trabalhar no laboratório. As outras coisas não eram importantes para ele e, conseqüentemente, não se dedicava o suficiente a elas. Assim, naturalmente, ele perdeu o interesse no trabalho/carreira. O salário era a única coisa que o fazia ir para o trabalho.

Mudanças na empresa

A área de especialização dele (DRAM) mudou-se para um local diferente e ele e sua família não queriam se mudar. Para poder ficar no mesmo lugar, ele teve que aprender uma nova área e foi difícil. Imagine, trabalhar dez anos com uma coisa e ter que mudar sua área de conhecimento? Uma vez que parte do trabalho foi-se embora, não foi muito divertido para ele, que acabou mudando de emprego algumas vezes, mas ficou com a mesma especialidade, até um tempo atrás.

Saúde e ambiente de trabalho

A saúde física e mental se deteriorou devido ao sedentarismo e stress. Muitos dos amigos deixaram a empresa ou foram demitidos. O antigo chefe foi demitido poucos dias antes do Natal de 2009 Isso o fez inelegível para o bônus de fim de ano, porque você tem que estar na folha de pagamento até 31 de dezembro. Destaco a data porque isso foi algo cruel que a empresa fez e que marcou muito meu amigo, já que esta postura foi a gota d’água para ele.

A escolha/mudança de carreira

Não há maneira de saber se uma carreira em engenharia é ideal para você a menos que você experimente. Tenho grandes amigos que estão no campo, no ritmo acelerado da engenharia, enquanto alguns mudaram de carreira e a vida continua. Muitos engenheiros estão felizes com seus empregos e estão felizes com seu tempo no trabalho.

Engenharia é mesmo uma boa carreira?

Meu amigo, hoje, mudou um pouco de área e hoje trabalha mais com empresas pequenas. O trabalho com a empresa grande deu para ele uma poupança, casa própria, carro do ano e muitas coisas positivas. Seu filho teve muitos problemas de saúde quando nasceu e o plano de saúde da empresa cobriu todos os custos. Tais benefícios e o bom salário são o “modus operandi” da grande maioria das empresas de médio e grande porte no Brasil que contratam engenheiros. É o principal atrativo da carreira.

Mas a partir do momento em que ele teve de parar de fazer o que gostava, dedicar mais e mais tempo para tarefas burocráticas e assumir uma postura de líder para a qual ele não foi treinado, a motivação foi acabando. Ele até parou de mexer com memórias, dando agora consultoria em tecnologia para pequenas e médias empresas. E ao mesmo tempo em que ele tinha ótimos bônus e salário, ele até hoje faz tratamento por conta de uma tendinite que ganhou por conta dos relatórios que tinha que fazer.

No fim das contas, ele tem hoje um tempo disponível para aproveitar a vida, mas deve muito disso ao tempo que passou empregado e trabalhando na área. Se ele quisesse crescer no ambiente da engenharia, ele teria de se adaptar, manter-se atualizado com novos cursos, algo não possível para um pai de família.

Tudo isso não significa que a engenharia não possa ser a carreira certa para você. Mas é necessário que você entenda os sacrifícios e responsabilidades envolvidas nessa escolha e ver se ela se encaixa no que planejou para o seu futuro.

Você é engenheiro? O que acha da profissão? Qual conselho daria para quem está começando o curso ou a carreira de engenheiro?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)