Se você não gosta de ler, você não pode amar escrever. Os dois andam de mãos dadas. Eu sempre fui um leitor voraz. Eu adoro ficção, bem como de não-ficção e eu tive sorte o suficiente para estudar um punhado de clássicos da literatura nos vários níveis da educação brasileira.

A língua é uma coisa incrível e você não pode realmente trabalhar na construção de sua própria voz, sem ouvir os outros. Outros escritores são os melhores exemplos de como fazer as coisas bem e não tão bem. Leia muito e muitas vezes.

Isso é mais verdade ainda quando falamos nas provas discursivas de concursos. São questões onde você deve versar sobre uma pergunta ou tema, até fazer redações. Porém, de nada adianta deter o conhecimento sobre as questões se você não souber como escrever e passar a mensagem, algo que vamos mostrar como conseguir nas dicas abaixo.

Em primeiro lugar, saiba sobre o quê você está discursando

Questões discursivas pressupõe o estudo sobre os temas dados para a prova. Elas irão estar diretamente relacionadas e ao saber muito sobre um tema, você tem mais chances de conseguir discursar bem sobre o mesmo. Porém, sabemos que só isso não basta para dar uma boa resposta para uma questão.

Tenha algo a dizer

Se você não tem nada sobre o que escrever, há um problema. Pergunte a si mesmo o que a sua experiência é e comece a partir daí. O que você gosta de ler? O que é importante para você e para a comunidade ao seu redor? Você não pode escrever bem, se você não está no comando do material.

É muito mais fácil escrever sobre o que você sabe muito sobre o que o que você não sabe nada sobre. Mas, muitas vezes, você terá que escrever sobre temas que desconhece ou que você não gosta. Assim é a vida. Aprenda a trabalhar com isso e torne o assunto interessante. Se você ficar apenas na sua zona de conforto de escrita, versando sobre o que conhece, você nunca vai conseguir realmente evoluir na sua habilidade discursiva.

Organize seus pensamentos

Há uma razão pela qual você tinha que escrever todos os trabalhos de pesquisa, enquanto você estava na escola. Eles te ensinaram a organizar as informações de uma forma significativa. Faça um plano antes de começar a escrever alguma coisa você vai economizar horas intermináveis ​​de rever, e rever, e rever. Comece escrevendo e rapidamente, verá que conseguirá fazer este planejamento mental de forma rápida e fácil.

Importância da prática para textos

Acredite ou não, um bom texto só virá depois de muitas rascunhos, textos ruins e prática. (Foto: www.onlineschools.org)

Considere o seu público

Muitas das provas discursivas mostram exemplos de questões nos gabaritos e como elas foram respondidas. Por isso, escrever de forma simples não vai adiantar. Seja complexo. Analise criticamente. Escreva de forma complicada. Afinal, você está sendo avaliado em um ambiente altamente competitivo.

Conheça convenções gramaticais e como usá-las

Escrever bem significa fazer inúmeras boas decisões, de escolher apenas a palavra certa para a elaboração de frases e parágrafos que dizem exatamente o que você quer dizer, com precisão, clareza e qualidade.

Atinja a maestria de um vocabulário de trabalho sólido

Use um dicionário. Leia textos mais complexos. Busque o significado de novas palavras. Avaliadores de provas discursivas de concursos adoram isso. Porém, tenha sempre:

Foco na precisão e clareza

Por que usar 25 palavras para dizer alguma coisa, quando 11 palavras são suficientes? Criar uma escrita clara e nítida é trabalho duro! Aprender a dizer exatamente o que você quer dizer com o mínimo de palavras requer prática. Excluindo palavras desnecessárias de um parágrafo ou frase é minha parte favorita absoluta de edição e uma necessidade quando você só tem tanto espaço em uma página para preencher. E questões discursivas são normalmente 5 a 10 linhas para versar sobre temas complexos.

Mantenha-se informado

Jornais, programas de rádio, televisão. Busque informação. Uma pessoa informada tem muito mais a falar do que quem fica dentro da zona de conforto.

Revise

Peça alguém pra revisar suas questões respondidas durante a prática. Depois de algumas semanas, retorne às questões e as reescreva com outras palavras. Na prova, após terminar, se dê cinco minutos para respirar e revise as questões. Nunca deixe de ler seus textos.

Pratique!

Pegue provas antigas. Provas novas. Questões de outros concursos. Quanto mais formas de praticar você conseguir, melhor. O importante é sair da zona de conforto e ir além. Todos os outros concorrentes estarão fazendo o mesmo que você. Portanto vá e faça melhor. Mas não se esqueça de estudar e versar sobre os temas das provas também, ou você estará em uma boa enrascada.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)