Cada vez mais as mulheres ganham espaço no mercado empreendedor. Desde a revolução feminista no início do século 20, ela ganham mais e mais direitos e se mostram tão capazes ou muitas vezes mais capazes do que os homens em muitas tarefas. Homens machistas ainda se perguntam como é possível ou se é possível conciliar a maternidade com os legados feministas e o mercado de trabalho.

Nossa visão preconceituosa é de que a maternidade e o trabalho são duas visões distintas e incompatíveis. Uma mãe é incapaz de empreender, visto que tem de dedicar seu tempo à prole. Entretanto, as mulheres mostram seu valor unindo as duas visões em uma só no que foi denominado empreendedorismo materno.

É algo relativamente recente, de poucos anos atrás. Em países de primeiro mundo, onde os direitos da mulher já são mais respeitados e elas já conseguiram mais espaço no mercado de trabalho, ele já está mais avançado, mas que não deixa de ser perceptível em nossas terras. Não diríamos que ele causa um impacto econômico significante na economia. Mas esta idéia pode mudar muito o perfil da mãe moderna.

São milhões de mulheres no mercado de trabalho e mais milhões que acabam engravidando durante seu período de contrato. A maioria delas  retorna imediatamente após sua licença maternidade, demonstrando a força, vontade e necessidade de contribuir para a renda familiar. Uma porcentagem destas mulheres se instiga a criar novas fontes de renda, inovar, buscar novos rumos para a vida profissional. Essas empreendedoras maternas, jovens entre 28 e 33 anos, estão ligadas com as novas tendências, a tecnologia, a moda e à inovação.

O empreendedorismo materno

O empreendedorismo materno serve para abrir nossos olhos quanto ao papel da mulher em nossa sociedade e a força deste gênero em nosso mundo. (Foto: thisisfreelance.com)

Pode-se dizer que o empreendedorismo materno é toda atividade empreendedora causada ou relacionada diretamente pela maternidade. Mesmo que a mãe retorne para seu antigo emprego, a busca do novo e de estar sempre melhorando é um tipo de perfil empreendedor. São muitos os relatos hoje de mães que saíram em licença maternidade de grandes empresas para retornarem e tocarem as empresas para os melhores lucros possíveis.

Para esta nova comunidade empreendedora, já existem blogs e sites especializados no suporte e compartilhamento de histórias que servem como motivação, suporte emocional ou mesmo dicas de como empreender e dividir as tarefas empreendedoras com a nova carreira como mãe. O empreendedorismo materno não é uma inovação grande no mundo, não é algo inteiramente novo. Mas o foco nas atividades performadas pelas mães mostra que elas são a força que talvez um negócio precise para se tornar mais abrangente, mais inovador e competidor, mostrando ao mercado que o machismo não tem mais vez nos tempos modernos.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)