Redução de jornada de trabalho, como funciona?

Em Legislação trabalhista e MTE por André M. Coelho

Este artigo resume o impacto prático da Lei 14.020 / 2020 (promulgada em 6 de julho de 2020) e Decreto 10.422 / 2020 (promulgada em 14 de julho de 2020) na medida provisória (PM) 936 e empregadores. Todas estas legislações tem a ver diretamente com a redução da carga horário de trabalho. As novas regras se tornaram vigentes no dia em que foram promulgadas.

Acordos individuais para redução da jornada de trabalho

Quando os empregadores podem negociar acordos individuais para reduzir o horário de trabalho e os salários ou suspender contratos de emprego? Por via de regra, as condições previstas pela Lei 14.020 / 20 devem ser acordadas por acordo coletivo, mas exceções permitem negociação por acordo por escrito individual. A tabela abaixo resume as regras para inserir um acordo individual.

1. Redução de 25%

Qualquer empregado pode optar por esta redução.

2. 50% ou 70% de redução ou suspensão do Acordo de Emprego

Empregadores cuja receita bruta em 2019 foi maior que R$4.8 milhões e funcionários cujo salário mensal é igual ou menor que R$2090. Os funcionários cujo salário mensal é igual ou superior a R$12.202,12 e que têm um diploma universitário

3. 50% ou 70% de redução ou suspensão do contrato de trabalho

Empregadores cuja receita bruta em 2019 foi igual ou inferior a R$4.8 milhões. Os funcionários cujo salário mensal é igual ou inferior a R$3.135. Empregados cujo salário mensal é igual ou superior a R$12.202.12 e que têm um diploma universitário

4. Redução ou suspensão sem impacto

Considerando a soma do salário reduzido, o auxílio emergencial e o subsídio de indenização mensal, qualquer funcionário pode optar por esta escolha.

Horário reduzido de trabalho para empregadas grávidas

O que acontece com contratos com funcionários grávidas que estão sujeitos a uma redução de horas salariais e horas úteis ou são suspensas uma vez que deram à luz e sua licença de maternidade começa?

Assim que um funcionário dá à luz, ou sua licença de maternidade começa, os empregadores devem comunicar esse evento ao Ministério da Economia. O pagamento do auxílio emergencial será interrompido e o pagamento do auxílio maternidade começará.

As mesmas regras se aplicam aos pais adotivos.

Como o salário maternidade será calculado? O auxílio maternidade será calculado com base no último pagamento de compensação em que o funcionário fez contribuições para a Previdência Social antes da redução ou suspensão do seu contrato de trabalho.

As funcionários grávidAs, que já são elegíveis para a proteção temporária contra a rescisão por causa de sua gravidez, com direito a posse temporária de emprego sob a lei 14.020 / 20?

Sim, as funcionários grávidas têm direito a proteção temporária contra a rescisão resultante da redução ou suspensão do seu contrato de trabalho. A proteção contra o período de rescisão resultante da redução das horas de trabalho de um funcionário grávido e a suspensão do seu contrato de trabalho começará no final do período de posse temporário do trabalho previsto para os colaboradores grávidas, que é de cinco meses após o nascimento. Assim, as funcionárias grávidas irão desfrutar dos dois períodos de proteção contra a rescisão consecutivamente.

Redução de jornada

A redução da jornada de trabalho precisa ser feita corretamente para que erros legais não sejam cometidos. (Imagem: Fairygodboss)

Redução de salário e jornada de trabalho para empregados aposentados

Os acordos individuais podem ser negociados para reduzir o horário de trabalho e os salários ou suspender acordos de emprego com funcionários com acordos ativos de emprego que também são legalmente aposentados? Sim, mas há algumas condições.

Como funcionários aposentados recebem benefícios contínuos de segurança social (aposentadoria), eles não são elegíveis para receber o auxílio emergencial.

Um contrato individual para reduzir as horas de trabalho e o salário de um funcionário aposentado ou suspender seu contrato de trabalho pode ser celebrado apenas se:

Os requisitos para a execução de um acordo individual (ver acima) são atendidos

O subsídio de indenização mensal é, pelo menos, equivalente ao auxílio emergencial que o empregado receberia.

Além disso, os empregadores cuja receita bruta foi maior que R$4.8 milhões em 2019, além do valor do auxílio emergencial, deve pagar 30% do salário do funcionário como subsídio de indenização mensal.

Redução de carga horária no aviso prévio

Os empregadores podem cancelar uma notificação de rescisão previamente comunicada e aplicar medidas previstas pela Lei 14.020 / 20?
Sim, se o empregado assim concordar, o aviso prévio pode ser cancelado e as medidas do programa de emergência (ou seja, uma redução de horas de trabalho e salário ou suspensão do Contrato de Emprego) pode ser aplicada.

Empréstimos de folha de pagamento (consignados)

O que os descontos de empréstimos da folha de pagamento são, como durante a hora de trabalho e reduções salariais ou a suspensão dos contratos de trabalho? A Lei 14.020 / 20 garante a renegociação das condições dos contratos de empréstimos de folha de pagamento para os funcionários que:

Tiveram suas horas de trabalho e salários reduzidos

Tiveram o seu contrato de emprego suspenso

São confirmados, por um relatório médico e exame de teste, para a Covid-19.

Os funcionários que cumprem estas condições são garantidos uma redução das parcelas de empréstimo na mesma proporção que a redução salarial, com um período de até 90 dias.

Os empregadores podem prolongar a hora de trabalho e as reduções salariais e a suspensão dos períodos de contrato de trabalho?

Sim, por resumo abaixo.

1. Hora de trabalho e redução de salário

120 dias – 90 dias previstos por lei 14.020 / 20, mais 30 dias previstos pelo decreto 10.422 / 20.

2. Suspensão do Acordo de Emprego

120 dias – 60 dias previstos na Lei 14.020 / 20 mais 60 dias previstos pelo decreto 10.422 / 20.

3. Hora de trabalho e redução do salário e suspensão do Acordo de Emprego

120 dias para ambas as medidas em conjunto – 90 dias previstos na Lei 14.020 / 20 mais 30 dias previstos pelo decreto 10.422 / 20

O Decreto 10.422 / 2020 também determina que o período de redução e suspensão aplicável até 14 de julho de 2020 será considerado para fins dos limites máximos estabelecidos. Assim, as empresas que já haviam reduzido ou suspenderam acordos de emprego, quando a PM 936/2020 foi promulgada deve deduzir tais períodos a partir do total de 120 dias agora autorizado.

Funcionários com deficiência e a redução na jornada de trabalho

Se os empregadores devem fazer lay-offs, eles podem estabelecer funcionários com deficiência sem substituições? Não, a Lei 14.020 / 2020 determina que até que o estado da calamidade pública termina em 31 de dezembro de 2020, os funcionários com deficiência não possam ser descartados sem a causa. Mesmo quando uma substituição é contratada, essa isenção não é autorizada.

No entanto, a lei não proíbe a rescisão dos acordos de emprego devido a:

A renúncia do funcionário

Demissão com a causa pelo empregador

Rescisão por acordo mútuo

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

André é pós-graduado em pedagogia empresarial, especializando na padronização de processos. Possui mais de 300 horas em cursos relacionados à administração de empresas, empreendedorismo, finanças, e legislação. Atuando também como consultor e educador empresarial, André escreve sobre Recursos Humanos desde 2012.

Deixe um comentário