Hoje em dia, maioria dos funcionários, em qualquer empresa, tem pelo menos um smartphone. Alguns desses celulares são até mesmo dados pelas próprias empresas. Por isso, um empresário experiente vai estabelecer regras para evitar a responsabilidade e mau uso de smartphones no escritório.

Para muitas empresas, uma política para uso de smartphones pelos funcionários pode aumentar a produtividade, e também pode salvar o seu negócio de processos judiciais futuros por constrangimentos, danos morais, etc. Já deixamos claro, aqui no começo do artigo: a empresa PODE SIM, proibir smartphones no ambiente de trabalho.

Aqui estão algumas questões legais que você pode querer considerar para a política de uso de smartphones pelos funcionários da sua empresa.

Regras para uso do celular no trabalho: o smartphone empresarial

Telefones empresariais estão se tornando mais comuns do que carros da empresa. Dar a seus empregados smartphones pode ser uma excelente maneira de garantir que eles podem ficar conectados via e-mail ou pela Web, mesmo quando estão fora do escritório.

Pode ser atraente para o seu negócio fornecer um smartphone para seus funcionários já com todos os aplicativos relacionados ao seu negócio. Mas o que fazer se os funcionários quiserem adicionar seus próprios aplicativos?

A primeira questão importante é que muitos desses aplicativos coletam dados dos smartphones e de seus usuários. Alguns desses dados podem ser segredos empresariais, uma vantagem de mercado que você queira manter. Mas muito além disso, você vai querer uma série de regras para evitar que os funcionários usem os smartphones empresariais para atividades pessoais.

Regras para usar smartphone no trabalho

O uso de smartphones pessoais no ambiente de trabalho pode ser proibido pela empresa sim, e o desrespeito a essa regra pode causar a demissão por justa causa do empregado. (Foto: www.cnn.com)

Normas para uso de celular da empresa

O funcionário deve ter consciência que o celular empresarial é como qualquer outro instrumento de trabalho da empresa. Como tal, as mesmas regras que valham para computadores, carros, ferramentas, valem também para o telefone. Em detalhes, e somando às regras específicas do uso de smartphones, as atividades proibidas no uso de smartphones pessoais e empresariais dentro da empresa devem incluir:

Verificação de perfis pessoais do Facebook, Twitter e outras redes sociais – Em alguns casos, os funcionários podem estar até usando essas redes como um segundo trabalho, ou seja, usando o tempo que o empresário está pagando ele para ter ganhos próprios.

Enviar e-mails pessoais, telefonemas, mensagens de texto e mensagens instantâneas – Em casos que há necessidade de exceções, vale a pena ter um funcionário ou secretária responsável por receber ligações e mensagens urgentes na empresa, e comunicar ao funcionário, desde que isso tudo seja acordado entre as partes e existe completa privacidade. Um exemplo simples: uma funcionária solteira tem uma filha, e esta teve problema na escola. Se a empresa tem uma “central” de atendimento, dá pra filtrar uma ligação da escola e acionar a mãe da criança.

Qualquer atividade de Internet não relacionada ao trabalho – Leitura de blogs e sites de notícias, joguinhos online, tudo que há de entretenimento online e pelo smartphone entra nessa lista.

Uso de sites de streaming de video e áudio – Sites com streaming de vídeo, além de poder prejudicar a banda de conexão de uma empresa porque exigem uma maior quantidade de dados, podem atrapalhar as atividades centrais de uma empresa que dependam da internet. Portanto, proibir o uso desses streaming não é só uma política de produtividade, como também é uma política para proteger seu negócio.

Uso de celular no trabalho: justa causa

Para ter uma proteção legal ainda maior, o empregador deve estabelecer nas regras algum tipo de monitoramento dos dados dos smartphones empresariais, deixando claro quais serão as punições cabíveis ao empregado quando ele desrespeitar as regras. Assim, as duas partes são informadas do monitoramento de dados, bem como as regras que podem levar sim, à demissão do trabalhador por justa causa, no caso de desrespeito.

Uso de celular no trabalho: proibição para telefones pessoais

Como um dispositivo de propriedade dos empregados pode ser usado para o trabalho e para entretenimento, as regras de uso de smartphones no ambiente de trabalho devem estabelecer limites de como ele pode ser usado. Smartphones no ambiente de trabalho, mesmo quando propriedades dos próprios empregados, deve ser utilizado apenas para fins relacionados ao trabalho. Pense no seguinte: ao usar um celular na empresa para assuntos pessoais, o funcionário pode estar usando o WiFi da própria empresa para isso, gastando recursos da empresa para seu próprio benefício. Ou pode estar gastando o tempo dele, de trabalho, para o qual está recebendo, apenas para passar de fase em um joguinho.

Embora os funcionários estejam dentro de seus direitos para enviar emails ou mensagens de texto pessoais, provocantes, engraçadas enquanto em casa, fazê-lo no horário de trabalho e usando a conexão de Internet da sua empresa pode fazer seu negócio vulnerável a problemas mais sérios.

Vale lembrar que as regras aqui citadas são um princípio orientador para os empregadores e empregados, mas podem ser expandidas de acordo com a necessidade. O importante é que tanto empregador, quanto funcionário, tem que pregar o bom senso no ambiente, e só usar o celular para trabalho e emergências.

Você usa o celular no ambiente de trabalho? Quais são as regras que você acha corretas para uso do smartphone no trabalho?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)