Viver com um salário mínimo pode ser difícil e vai exigir que você corte muitos gastos desnecessários. Uma das vantagens de viver com um salário mínimo é que você aprende a disciplinar-se em suas finanças e você também treinar-se a valorizar as coisas mais importantes na vida, como a sua fé, família, amigos e ajudar aqueles em necessidade.

No Brasil, dificilmente você sobrevive com um salário mínimo. Mas este guia vale tanto para quem realmente ganha só um salário mínimo ou aquele que ganha o salário médio do brasileiro, um pouco mais alto que o mínimo. Vale aqui o bom senso de saber que este guia não é uma bíblia mas sim, uma forma de orientar nossos leitores a uma prática financeira mais saudável.

Use o transporte público

Se seu trabalho é perto de transporte público, chame sua autoridade de trânsito local e solicite os horários dos ônibus que você pega para o trabalho. Também pergunte sobre bilhetagem eletrônica e descontos para quem pega mais de um ônibus. Se você não mora perto de transportes públicos, peça a um amigo ou colega de trabalho por uma carona. Se você mora no mesmo bairro que colegas de trabalho, dividir a gasolina de um carro pode ficar mais barato e ser mais eficiente do que pegar um ônibus. Converse  e coloque na ponta do lápis os custos. Você poderá até usar o dinheiro do vale transporte para outros fins, como lazer, transporte da família, entre outros.

Cozinhe em casa

Use os ingredientes que você já tem em sua despensa para fazer refeições e não compre mantimentos até que você esteja quase fora das coisas para cozinhar. Por exemplo, se você tem alguma sobra molho de espaguete no freezer e algumas sobras na geladeira, você pode fazer receitas bem criativas. Caso cozinhar em casa não seja uma opção, você pode buscar restaurantes populares ou empresas que fazem pratos prontos mais baratos.

Importância da família para sobrevivência

Um núcleo familiar com mais de um adulto trabalhando pode ajudar muito na hora de pagar as contas e sobreviver com um salário mínimo. (Foto: www.gandaiabr.net)

Procure informações sobre o programa Minha Casa, Minha Vida

Dependendo da sua cidade, você pode visitar o escritório da autoridade local de habitação e saber informações sobre o programa Minha Casa, Minha Vida. Com meros R$50,00 mensais você pode começar a pagar por sua casa própria e não depender de aluguel ou dividir casa com outras pessoas. O importante aqui é tentar minimizar ao máximo seus custos.

Encontre pechinchas sempre que puder

Tire proveito de vendas dos supermercados semanais. Também compre em lojas que vendem mais barato por quantidades maiores, além de buscar as feiras de bairro para alimentos mais baratos. Você pode até fazer uma pequena horta, se sua casa permitir. Roupas podem ser compradas em lojas como C&A, Marisa e Renner, que tem preços mais baratos, ou lojas de bairro.

Economize tanto quanto sua renda permitir

Uma conta poupança de emergência é importante, pois as emergências de saúde podem surgir ou você pode perder o seu emprego um dia. Você também pode economizar dinheiro para as coisas de lazer, tais como novas roupas, ingressos para shows ou novos móveis domésticos. Tente sempre salvar uma pequena quantia semanal ou mensalmente, mesmo que seja R$10. Este dinheiro poupado fará a diferença no longo prazo.

Busque formas de incrementar sua renda

Seja através dos estudos, buscando melhores empregos ou “bicos”, você tem que buscar formas de aumentar sua renda. Ninguém vive bem com um salário mínimo pelo resto da vida. Você deve buscar constantemente formas de incrementar a renda e assim, ter melhores condições de trabalho e de vida.

Programa Bolsa Família

Por fim, busque informações sobre o Programa Bolsa Família. O intuito dele é fornecer uma base financeira e segurança para aqueles que mais precisam. E você pode usar o dinheiro do programa para melhorar sua poupança ou pagar por um curso gratuito. Lembre-se sempre que oportunidades surgem por todos os lados: basta que você queira encontrá-las.

Um comentário para “Como sobreviver com um salário mínimo?”

  1. Michel

    Olá, já faz uns dois meses que esta tendo uma diferença alta na comissão que deveria receber.
    O valor apresentado no holerite não bate com os valores somados que me é apresentado em meus comprovantes de venda.
    Ainda não assinei nenhum holerite.
    Sou obrigado a assina-los mesmo com os valores de comissão errados?

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)