Iniciar seu próprio negócio é um sonho que muitas pessoas têm. No entanto, poucos acompanham seus sonhos, através de seus impulsos para iniciar um negócio, porque eles pensam que eles não têm dinheiro suficiente para iniciar um novo empreendimento. Com o advento e desenvolvimento do comércio na internet, iniciar um negócio agora pode ser feito com pouco ou nenhum dinheiro. Até o momento de registro de sua empresa, você precisa gastar muito pouco ou nada.

Analise e avalie sua situação

Avalie quais são as competências, equipamentos e recursos que você já tem e que você pode usar para iniciar um negócio. Por exemplo, se você tem um computador, acesso à Internet e habilidades de escrita, então você pode começar um negócio independente, com pouco ou nenhum dinheiro. Agora, se você precisa de algum recurso, como um forno industrial ou funcionários, você irá precisar de algum dinheiro para fazê-lo. Por isso, você precisa economizar um pouco antes de começar.

Determine que tipo de negócio você quer começar

Leve em consideração os seus interesses, suas habilidades atuais, quanto tempo você quer gastar em seu novo negócio e que tipos de negócios que você pode começar sem ou com pouco dinheiro. É importante sempre fazer o que você gosta e com algo que esteja junto com seus objetivos profissionais.

Pesquise suas opções de negócios

Se você está interessado em negócios online, então você pode querer olhar para as empresas que façam freelance. Este é normalmente o mercado pelo qual a maioria dos empreendedores começa. Porém, não precisa ser a única opção.

Você pode muito vem começar com a produção e venda de produtos ou até revenda de produtos. Muitas grandes empresas começaram como pequenos revendedores até o ponto em que começaram a se tornar representantes mais fortes dentro do mercado. O mais importante aqui é começar pequeno para gerir os problemas com maior facilidade e assim, aprender para o crescimento sólido mas constante da sua empresa.

Pesquise o mercado

Encontre concorrentes nacionais e internacionais que trabalham na mesma área que você. Além de você descobrir quem você deverá bater no mercado concorrente, você pode descobrir oportunidades não exploradas, descobrir algo que você pode fazer melhor ou até descobrir mercados já saturados.

Muitos não dão a importância devida para esta etapa, mas é uma das mais importantes. Você deve constantemente estar pesquisando e monitorando seus concorrentes para obter uma visão apropriada do mercado e inovar constantemente para os melhores resultados.

O plano de negócios

Criar um plano de negócios para ajudá-lo a organizar o seu negócio e criar metas para o seu futuro. Você pode baixar um modelo de plano de negócios online gratuito pelo site do SEBRAE ou você pode criar o seu próprio plano. A ideia aqui é sempre começar através de um modelo prévio ou parecido para começar a evoluir daí. Além de ser mais fácil, é muito mais concreto e viável financeiramente construir um negócio desta forma. Não é copiar. É estruturar sua empresa com uma base mais sólida e preparada para a competição no mercado.

Capitalizar ideias

Para empreender, não basta apenas ter uma ideia. Você tem que saber como capitalizar e formatar essa ideia em um negócio rentável. (Foto: inclusivesolutions.com)

O que preciso para abrir a empresa?

Assim que você tiver todos estes elementos preparados, é hora de pensar em formalizar seu negócio. Minha dica por experiência pessoal é formalizar o negócio no momento em que você garantir algum retorno financeiro com o empreendimento.

Apesar de muitas pessoas começarem um negócio informalmente ou como autônomo vai custar mais dinheiro e te atrapalhar muito a construir uma relação de confiança com seus clientes, algo extremamente essencial no seu dia a dia com a empresa. Afinal, quem faz dinheiro sem clientes? Pois é.

Então, temos as necessidades para você registrar sua empresa, começando pelos documentos. O Portal Brasil tem uma lista muito boa para Microempreendedores Individuais (MEI), empresários individuais ou sociedades. Porém, recomendamos você consultar com um contador de confiança antes para ele te comunicar e explicar quanto você irá gastar nesse primeiro momento do registro e mensalmente, com os impostos que serão cobrados

E aqui vem a parte mais delicada: se você não tiver capital de giro, ou seja, dinheiro para sustentar sua empresa durante os primeiros meses até conseguir uma quantidade de clientes e volume de vendas que possa sustentar sua empresa (chegar ao Ponto de Equilíbrio, que é o momento onde custos e recursos que entram no negócio se equiparam), você terá que desistir do seu negócio.

Vale saber também que nem todo negócio pode ser considerado como MEI ou no regime de tributação SIMPLES. Para explicar melhor, o SIMPLES é um regime de tributação onde você poderá pagar muito menos impostos. Você pode conferir esta lista no próprio site do SIMPLES, além da regularização de como funciona o SIMPLES de acordo com o orçamento da empresa.

Agora o mais importante: quanto custa abrir uma empresa?

Em média, custará cerca de R$2.000 para abrir sua empresa. Isso corresponde a preços com documentos, impostos que a empresa terá que pagar apenas por estar funcionando (mesmo que você não venda nada), registro em órgãos responsáveis pela fiscalização de sua empresa, alvará municipal de funcionamento para sua empresa, autorizações e outras burocracias que um contador pode te ajudar muito melhor a compreender e assim, planejar melhor o começo financeiro de sua empresa.

Isso sem contar a contratação de funcionários, custos de produtos, aluguel, entre outros custos envolvidos com os primeiros momentos de uma empresa.

Difícil né? Nem tanto.

Como reduzir os custos para abrir uma empresa?

Comece com um negócio online. E ao invés de contratar funcionários, por que não encontrar parceiros que queiram abrir a empresa com você? Eles terão participação nos lucros e a quantia da participação será diretamente proporcional aos valores, além de diretamente proporcional aos esforços de cada um. Mas você não pode abrir a empresa com qualquer pessoa. Tem que escolher a pessoa certa para a parceria.

Agora, se a necessidade de um funcionário é extremamente necessário, você tem que arcar com custos que não são apenas o salário do empregado. Temos a contribuição para o FGTS entre outros custo envolvidos com a formalização de funcionários. Em termos de porcentagem, um funcionário custa para empresa um total do salário pago a ele mais a soma de 40% a 50% do salário.

Não tem como não pensar nos custos.

E é só isso?

Bem, basicamente sim. você precisa pensar no capital de giro para cobrir estes custos e no seu público alvo. Em quanto tempo a empresa poderá se pagar sozinha? Você irá precisar de outro emprego para sustentar a empresa enquanto ela não se sustenta sozinha? Quanto você precisará investir na empresa até ela começar a dar resultados? Ainda mais: você já analisou quando e como a empresa poderá ter resultados?

Podem parecer muitos obstáculos. Se você vê este artigo como obstáculos, você não deve abrir uma empresa. Um empreendedor não vê obstáculos. Ele vê desafios. Portanto, este artigo é também um teste. Se você leu cada parte deste artigo e viu desafios a serem superados, abra sua empresa e você terá muitas chances de sucesso. Se você só viu obstáculos, pense duas vezes antes de abrir a empresa.

Esperamos ter ajudado aqueles que querem ter uma empresa e serem bem sucedidos financeiramente por conta própria.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)