Durante muito tempo, o trabalho em equipe tem sido o mantra de muitas empresas: o impulso para a solidariedade, trabalhando em conjunto e cada um fazendo a nossa parte para o melhor de todos. Mas trabalhar em equipe é muito mais difícil do que eu acho que a maioria gostaria de reconhecer. E, como resultado, eu acho que trabalho em equipe pode realmente ser prejudicial para a empresa e os resultados de um projeto em alguns casos.

Temos de pensar em trabalho em equipe como risco e quanto mais pessoas houver em uma equipe, maior o risco que deve ser considerado. Aqui estão algumas razões.

Sistemas de recompensa injustos

Nós todos provavelmente trabalhamos em um projeto onde parece um ou dois (talvez mais?) membros da equipe de trabalho estão na contramão. Eles podem pensar que estão fazendo um trabalho melhor, mas mais vezes do que sim, o sucesso do projeto se torna comprometido, e um pesadelo para trabalhar. E cada vez que eu tenho experimentado isso, eu sempre me perguntei ‘Por quê?’

E então eu comecei a perceber que o trabalho em equipe não é realmente o que nós, como indivíduos fomos programados para fazer no momento em que estamos no local de trabalho.

Pensando para trás quando você era mais jovem, quantas vezes você trabalhou em grupo durante as aulas? A maioria das minhas memórias são de trabalhar em projetos individuais escolares: os meus projetos científicos, relatórios de livros, trabalhos de casa geografia, tudo feito por mim como um indivíduo. Ou pior, em trabalhos em grupo que um ou dois faziam a tarefa e o restante apenas olhava.

Sobretudo no ensino médio ou na universidade, quando eu tive que trabalhar com dois ou três outros para completar uma tarefa, a história do trabalho em grupo e suas dificuldades se seguiram. Nós nos reuníamos na biblioteca ou sala de estar, colocávamos nossas cabeças juntas para discutir idéias e, em seguida, começávamos a trabalhar. Curiosamente, porém, quase todos os projetos havia alguém mais vocal do que eu (e a maioria dos outros), com ideias fortes, que pareciam apenas levar o projeto para acabar. A equipe era geralmente individual, só encontrando aqui e ali para ver onde estávamos, e quase o tempo todo, uma vez que o projeto estava feito, o mesmo acontecia entre as pessoas do grupo.

Ainda mais do que isso, e que eu acho que vem a afetar negativamente a equipe, mais tarde, no local de trabalho, é a forma como temos sido recompensados na ​​maioria de nossas vidas, e mesmo continuar a ser, na maior parte, em nosso local de trabalho. E isso está no nível individual, não grupal.

Da escola, recebíamos sempre uma nota individual, independentemente se o projeto era em grupo ou não. Terminamos com um boletim individual. Na verdade, eu me lembro que depois de trabalhar em projetos em grupo, fomos até convidados a avaliar os outros membros, individualmente. Isso sempre me pareceu ruim para mim. Eu estava sendo convidado como parte de um grupo, todos trabalhando para o sucesso juntos, mas no final estávamos sempre classificados individualmente e muitas vezes, à mercê dos membros do meu grupo.

O mesmo parece acontecer na maioria das empresas

Somos convidados a trabalhar como uma equipe, mas somos recompensados ​​como um indivíduo, com bônus e aumentos salariais principalmente ligados ao desempenho individual. Isso parece ser uma contradição, um pedido para trabalhar em conjunto, mas a recompensa por ser um indivíduo em destaque. Não deve ser nenhuma surpresa, então, que nem todas as equipes trabalham bem juntas. Nós somos instintivamente competitivos, e tendo em conta os incentivos de carreira de avanço financeiro e potencial ao ser melhor do que o outro, muitas vezes você vai fazer um esforço para ser assim.

Mas as equipes reais não competem uns com os outros: eles competem contra a competição real. A equipe precisa ser uma frente unida, o que significa colocar o ganho pessoal para o lado para o ganho geral da equipe, algo que as pessoas raramente se sentem confortáveis ​​em arriscar.

Pessoas que não trabalham em grupo

Acredite: neste grupo feliz, pelo menos uma das pessoas não está trabalhando. Não era assim na escola? (Foto: www.ehow.com)

Falta de confiança

Os projetos têm um cronograma definido, e uma equipe de conjunto de pessoas que pode ou não conhecerem uns aos outros, e tem uma meta estabelecida de alcançar. Geralmente, há uma reunião inicial para as apresentações e revisão para definir as expectativas do projeto. É como se houvesse apenas uma instrução subjacente fácil de trabalhar juntos e ser bem sucedido.

Essa hipótese, porém, e o perigo resultante, é que muitas vezes os membros da equipe são novos para os outros. E, quando for o caso, o nível de confiança que os membros da equipe têm entre si é compreensivelmente baixo. Trabalho em equipe bem-sucedido requer confiança. E a confiança nem sempre vem facilmente ou rapidamente. Especialmente quando, mais uma vez, a recompensa é muitas vezes ligada a realizações individuais e o nosso pensamento programado no local de trabalho é de “chegar à frente.”

A rede social

Está provado que quando as pessoas trabalham em grupos, há uma diminuição global da produtividade em um nível individual. As pessoas começam a sentir-se invisíveis, que sua contribuição realmente não importa muito e que eles não são necessários. Eles começam a afrouxar, perder a motivação para colocar o seu melhor, e sua produtividade global e esforço diminuem

E a pior parte dessa rede social? Pode ser contagiosa. Uma vez que uma pessoa começa, outros são mais propensos a seguir o exemplo. Eles começam a pensar “bem ou mal, ele não está fazendo um monte de trabalho, por isso eu também não”, ou “fulano de tal não está realmente motivado, por que eu deveria estar?

O fato é que é mais difícil de manter toda uma equipe motivada para colocar o seu melhor do que é com um indivíduo.

Criatividade

Muita gente provavelmente vai argumentar que de fato, trabalho em equipe realmente inspira a criatividade, que o brainstorming em grupo irá gerar as melhores idéias.

E eu concordo, isso pode acontecer. Mas eu também me pergunto se, por vezes, as pessoas poderiam chegar a melhores ideias individualmente.

Porque os estudos feitos em debate – a forma mais popular de “pensamento de grupo” – mostra que o grupo de brainstorming, na verdade resulta em menos ideias do que se os indivíduos trabalhassem sozinhos. Interessante, e pelo menos para mim, muito crível. Eu sempre fui do tipo que prefere fazer e pensar por conta própria e, em seguida, discutir as minhas ideias. Coloque-me em uma sala cheia de pessoas e peça-me para vir com idéias e mais do que provável que minhas tendências introvertidas vão me impedir de contribuir em tudo. Coloque-me em uma sala sozinho e me peça para vir com idéias, e eu provavelmente vou sair com uma lista inteira de boas ideias.

E depois, há a conformidade

De acordo com os estágios de desenvolvimento de grupo de Tuckman, temos: forming, storming, norming, performing (algo como formação, confrontamento de ideias, normatização, execução).

Bem, para mim, é realmente as etapas da conformidade. O processo de todo mundo se unindo para trabalhar e pensar da mesma forma em direção a um objetivo comum. Ele pode ser grande para a produtividade, mas eu me pergunto se ele remove a criatividade do indivíduo. É muito mais difícil de “pensar fora da caixa”, e, além disso, convencer os outros dessas idéias, uma vez que um grupo foi formado e é mais resistente a afastar-se do ‘seu’ plano.

Considerações finais

Ao analisar o cenário geral, eu acho que trabalho em equipe é essencial no local de trabalho. Quando a estrutura certa está em vigor, uma equipe é todos trabalhando juntos em direção a um objetivo comum, que pode ser uma coisa muito poderosa.

Mas eu acho que nem sempre é tão fácil como assumido. O trabalho em equipe como uma estrutura padrão tem um monte de riscos associados a ele, aqueles que podem ser mais prejudiciais do que bom, e deve ser considerado antes de qualquer trabalho em equipe seja realizado, gerindo riscos e principalmente, preocupando-se bastante com a formação de uma equipe eficiente.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)