Um estudo europeu de 2011 mostrou que a procrastinação foi um dos fatores que mais afetam o estresse no trabalho. A procrastinação tem sido associada a um mau desempenho e até mesmo com problemas de saúde. De lá pra cá, as pesquisas continuaram a mostrar a mesma tendência e associações, confirmando então as pesquisas iniciais e o fato: a procrastinação faz mal para sua vida profissional E pessoal. Parece provável, então, que o oposto da procrastinação, ou seja, completar tarefas mais cedo do que elas precisam para ser feitas, melhore a produtividade e alivie o estresse. No entanto, um estudo recente realizado por pesquisadores de psicologia da Universidade Estadual da Pensilvânia mostra que isso pode não ser o caso.

O perigo da PREcrastinação!

Durante um experimento social, participantes tiveram a opção de escolher e carregar um entre dois baldes pesados ​​cheios de moedas de um centavo por um corredor. Um balde foi colocado perto dos participantes na linha de partida, enquanto o outro balde foi colocado mais perto da linha de chegada.

Surpreendendo os pesquisadores, a maioria dos participantes pegou o balde que estava mais próximo a eles, mesmo que isso significasse que tinham que levá-lo mais longe e fazer maior esforço físico. Quando os participantes foram perguntados por que tinham escolhido aquele balde, a maioria respondeu que queria começar a tarefa o mais rápido possível. O desejo de aliviar a carga mental era mais forte do que a determinação em reduzir o esforço.

Fazer as coisas mais rápido ou mais devagar?

Podemos comparar a experiência de transporte de balde para o desejo de limpar a mesa antes de começar o verdadeiro trabalho. Para descrever esse fenômeno, os pesquisadores cunharam o termo PREcrastinação. Enquanto agilizando a tarefa à mão (precrastinatinação) possa parecer ótimo para a produtividade, permitindo-lhe marcar os itens da sua lista de coisas a fazer de forma mais rápida e fácil. Pensando assim, seria esse vício em fazer as coisas mais rápidas, a precrastinação, um vício menores do que fazê-las de forma mais devagar, a procrastinação?

Imagine se você dedicar muita energia para completar uma tarefa imediatamente e, em seguida um cliente chama e interrompe você quando você está no meio dessa tarefa. Sua atenção vai para ir para o cliente ou ainda vai ser a tarefa?

Estresse físico e psicológico da precrastinação e procrastinação

Tanto a precrastinação quanto a procrastinação podem levar à exaustão física e mental. (Foto: www.cnn.com)

Embora o desempenho na tarefa em mãos possa melhorar, o desempenho em outras tarefas, tais como reuniões, interrupções por e-mail e ligações telefônicas, vai vacilar porque sua atenção é dirigida para outro lugar. Um procrastinador, por outro lado, pode capitalizar sobre essa interrupção e ter um melhor desempenho porque atrasa ainda mais o trabalho. Assim, pode também ter mais tempo para planejar e fazer o trabalho final de forma a poupar energia e com a melhor qualidade possível.

A sensação de dever cumprido. Só que não.

A precrastinação pode te fazer sentir-se melhor do que procrastinar, já que você evita a sensação persistente de que você deveria estar fazendo outra coisa. Porém, na pressa para completar uma tarefa, você pode ter uma significativa diminuição do desempenho. Se você quer começar e terminar algo o mais rápido possível, até mesmo antes que você tenha a instrução completa sobre como completar a tarefa, pode ser um sério problema. Você vai acabar as tarefas mais rápido apenas para recompensar seu cérebro por ter uma tarefa completa.

Detalhes que escapam ao precrastinador

Precrastinação também pode resultar em detalhes perdidos e oportunidades perdidas dentro do processamento cognitivo. Você já deve ter ouvido a expressão “durma com essa ideia”. Na maioria das vezes é, literalmente, o que você precisa fazer para trabalhar nela e torná-la algo concreto.

Muitas vezes, você é capaz de se lembrar, melhorar e aperfeiçoar coisas quando tem um tempo extra para trabalhar em algo. Se você é um procrastinador, você tem esse tempo para incubar os projetos, enquanto que se você é um precrastinador você não o faz. Apressar-se para completar a tarefa pode significar que você está perdendo ideias que teriam ocorrido com você mais tarde se você tomar o tempo para se dedicar mentalmente à tarefa.

Considerações Finais

Não está clara a divisão entre procrastinadores e precrastinadores, mas se você encontrar as suas tendências, você pode trabalhar para encontrar o meio termo ideal para a produtividade e qualidade no trabalho. Cabe lembrar que todos os extremos são negativos, mas tudo em nível moderado é positivo para você e sua carreira.

Você se acha um procrastinador ou precrastinador? Por que? Quais as qualidades você acha que cada um pode ter para contribuir a uma maior produtividade?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)