Todos provavelmente vivemos a maior parte das nossas vidas nos comparando com os outros. No início, você começa a se comparar na escola e nos esportes. Mas à medida que envelhecemos, começamos a comparar outras métricas como cargo, nível de renda, tamanho da casa e sucessos. Não deveríamos nos comparar com os outros porque isso não vai contribuir em nada para nosso crescimento pessoal. Mas como para com essa compração?

Pare de se comparar e vá contra a maré

A tendência de nos comparar com os outros é tão humana quanto qualquer outra emoção. Certamente você e eu não estamos sozinho na experiência das comprações. Mas é uma decisão que só rouba a alegria de nossas vidas. E é um hábito com inúmeras deficiências, que incluem:

Injustiças. costumamos comparar o pior que sabemos de nós mesmos com o melhor que presumimos sobre os outros.

Métricas: só um tolo acredita que cada coisa boa que acontece ou deixa de acontecer em nossas vidas possa ser contada ou medida.

Tempo: cada um de nós tem apenas um dia por vez, com 24 horas cada. E usar até mesmo um minuto desse dia para comparar suas realizações com outro é um segundo a menos que você poderia estar investindo em algo mais produtivo.

Individualidade e originalidade: seus talentos, sucessos, contribuições e valor são inteiramente únicos para você e seu propósito neste mundo. Eles nunca podem ser adequadamente comparados com os de outras pessoas.

Nada a ganhar, tudo a perder: ao se comparar, você pode perder seu orgulho, sua dignidade, sua unidade e sua paixão por quem você é e pelo que você faz.

Não há fim para as compações: o hábito nunca poderá ser superado por alcançar o sucesso. Haverá também algo ou alguém em quem você vai concentrar suas próximas comparações.

Foco na pessoa errada: você pode controlar uma vida, que é a sua. Mas quando constantemente nos comparamos com os outros, desperdiçamos energia preciosa concentrando-nos na vida de outras pessoas e não na nossa.

Ressentimento: comparações frequentemente resultam em ressentimento para com os outros e para com nós mesmos.

Privação da alegria: ao se comparar, você não está acrescentando valor, significado ou satisfação às nossas vidas. Elas só distraem você desses elementos no cotidiano.

Os efeitos negativos das comparações são amplos e de longo alcance. Provavelmente, você experimentou (ou está experimentando) muitos deles em sua vida também. Como, então, poderíamos nos livrar desse hábito da comparação?

Comparação e seus efeitos negativos

A comparação só levará a resultados ruins para sua própria vida e daqueles que estão ao seu redor. A única pessoa com quem você deve se comparar é você mesmo. (Foto: Wisdom Pills)

Nao se compare com ninguem, e tenha consciência da natureza ruim das comparações

Tome nota dos efeitos nocivos da comparação em sua vida. E tome como prioridade remover intencionalmente cada uma delas do seu dia a dia. Por exemplo, quando você se encontrar comparando seus resultados com os de um colega de trabalho, ao invés disso, tente conversar com ele e pedir dicas sobre como ele obteve os resultados, e peça ajuda para que você possa melhorar também. Isso é cooperação, e é muito melhor do que a comparação sem sentido.

Não devemos nos comparar com os outros, e devemos estar cientes de nossos próprios sucessos

Todos os indivíduos tem uma perspectiva única do mundo, suportada por experiências únicas, dons e talentos únicos. Você tem a capacidade de amar, servir e contribuir. Você tem tudo o que precisa para realizar o bem por conta própria. Com essa oportunidade diretamente em frente de você, torne-se intimamente consciente de seus sucessos passados. E encontre motivação neles para conseguir ainda mais.

Não se compare e procure as boas coisas da vida

Alguns dos maiores tesouros deste mundo estão escondidos: amor, humildade, empatia, altruísmo, generosidade. Entre essas atividades mais elevadas, não há medição. Deseje essas coisas boas acima de tudo e remova-se inteiramente da definição dos outros sobre o que é sucesso. Afinal, esses sentimentos são muito subjetivos e únicos para cada pessoa.

Compita menos e aprecie mais

Pode haver momentos em que a competição é apropriada, mas a vida não é um desses momentos. Todos nós podemos contribuir para um ambiente de trabalho melhor e uma melhora na qualidade de vida. E quanto mais cedo pararmos de competir uns contra os outros para ganhar, mais rápido podemos começar a trabalhar juntos para compartilhar as vitórias. O primeiro e mais importante passo para superar o hábito da competição é rotineiramente apreciar e elogiar a contribuição dos outros. Depois, reconhecer seus próprios pontos fortes para contribuir tanto no ambiente de trabalho como nas coisas da vida.

Seja grato e lembre-se de que ninguém é perfeito

Gratidão sempre nos obriga a reconhecer as coisas boas que já temos em nosso mundo. Isso significa também buscar a gratidão pelas imperfeições em nossas vidas. Embora se concentrar nos aspectos negativos seja raramente tão útil quanto se concentrar nos positivos, é sempre importante lembrar que ninguém é perfeito e ninguém está vivendo uma vida sem problemas. O triunfo requer que obstáculos sejam superados. E todo mundo está sofrendo por conta própria e só você está perto o suficiente para saber ou não se tem problemas.

Fuja das compações com um passeio

Da próxima vez que você se encontrar comparando-se com os outros, levante-se e tome um tempo para respirar e dar um passeio. Saia para uma caminhada, mesmo que seja apenas até a sala de café da empresa. Permita que a mudança em seu entorno mude o seu pensamento e faça com que a comparação não tenha tanto impacto na sua vida.

Encontre inspiração sem comparações

Comparar nossas vidas com a dos outros é algo tolo de se fazer. Mas encontrar inspiração e aprender com os outros é inteiramente sábio. Trabalhe duro para aprender a diferença. Faça perguntas para as pessoas que você admira ou leia biografias como inspiração. Mas se a comparação for uma tendência consistente em sua vida, observe quais atitudes que levam a mudanças positivas e quais resultam em influências negativas.

Se você precisa se comparar, se compare com você mesmo

Devemos nos esforçar para ser as melhores versões possíveis de nós mesmos, não apenas para nós mesmos, mas para os benefícios e contribuições que podemos oferecer aos outros. Trabalhe duro para cuidar de si mesmo fisicamente, emocionalmente e espiritualmente. Comprometa-se a crescer um pouco cada dia. E aprenda a comemorar os pequenos avanços que você está fazendo sem compará-los com os outros.

Com tantos efeitos negativos inerentes à comparação, é uma vergonha que alguma vez tomamos parte dessas comparações. Mas a luta é real para a maioria de nós. Felizmente, não precisa ser difícil superar esse hábito nocivo.

Como você evita as comparações? Quais são as técnicas e estratégias que você usa para fugir de comparações?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)