Estamos vivendo na era da informação, mas as relações ainda são a moeda dos negócios, principalmente por conta do networking. Assim como qualquer moeda, as relações tem altos e baixos, influenciando diretamente a qualidade das relações. A causa mais comum de um relacionamento de má qualidade é o egoísmo, ou seja, concentrar-se em sua própria auto-gratificação, priorizando suas necessidades sobre os outros querendo estar sempre certo, tomando crédito exclusivamente para o trabalho de muitos, e outros comportamentos que colocam seus méritos como melhores do que de seus colegas de trabalho. O egoísmo provoca um impacto extremamente negativo sobre seu sucesso profissional e ascensão social. Em uma escala maior, o egoísmo em um líder impacta na moral da equipe, produtividade e retenção de talentos. O egoísmo também torna o trabalho menos interessante.

Infelizmente, “cuidar de si mesmo” é a norma em algumas culturas corporativas. Se você precisar de ajuda para criar um caminho mais eficaz e satisfatório, tanto pessoalmente quanto profissionalmente, a generosidade é o melhor caminho para isso.

O que é a generosidade?

A forma mais pura e mais poderosa de generosidade pode ser definida com a seguinte fórmula:

Intenção Altruísta + Sacrifício + Necessidade = Generosidade

Vamos olhar para cada elemento separadamente.

Intenção altruísta

Intenção altruísta tem a ver com as suas motivações. Se a doação vem com um retorno esperado para você, a qualidade da generosidade diminui. Se você tem uma enorme quantidade de oportunidades de vendas, e você pode dar uma para alguém com a expectativa de que eles vão te dar algo em troca, sua intenção é sobre a obtenção de suas necessidades satisfeitas, e não sobre a deles. As pessoas podem ver através da generosidade auto-motivada. Quando suas intenções tornam-se aparentes (como sempre acontecem), o seu colega não vai sentir-se grato, ele só vai se sentir usado. Quando você ajuda alguém, faça-o sem expectativa de uma recompensa. Seu apoio deve ser um presente puro, não um empréstimo que tem que ser pago com juros. Em equipes de sucesso, os membros se preocupam com o sucesso uns dos outros, tanto quanto eles se preocupam com os seus triunfos individuais.

Sacrifício

Vamos dizer que você tem uma enorme quantidade de vendas porque o sua estratégia gerou muito mais interesse do que você esperava. Você nunca será capaz de atender à toda demanda sem uma boa dose de sacrifício. Se você passar algumas destas ligações a um colega, você está sendo generoso, mas você não está fazendo um sacrifício. Sacrifício ocorre quando custa-lhe algo cuidar das necessidades de outra pessoa. Renunciar sua própria satisfação, seja sob a forma de uma comissão de vendas ou algo intangível, como reconhecimento público, é um elemento essencial da generosidade genuína, o que realmente ajuda os outros. Um dos bens mais valiosos de hoje é o tempo. Temos tão pouco dele de sobra que dar o nosso tempo a alguém pode ser um sacrifício significativo. Quanto mais ocupado você é, mais isso significa quando você sacrifica o tempo para fornecer um feedback valioso e orientação, seja para escrever uma mensagem pessoal de gratidão ou parabenização

Necessidade

Isso enfatiza o elemento receptor. O seu representante de vendas de maior sucesso não precisa de um de uma lista de clientes. Mesmo se você estiver fazendo um sacrifício para passar as informações de contato para ele, a necessidade não está lá. Embora sua intenção seja pura e haja o sacrifício, a necessidade está faltando. Generosidade genuína começa com a observação daqueles ao seu redor e a identificação de suas necessidades. Mudar o foco de suas próprias necessidades torna mais fácil prestar atenção ao que está acontecendo com os outros: escutar atentamente aos seus clientes, funcionários e colegas. Cumprindo essa necessidade sem ser solicitado, e sem estar associado com a resolução é a forma mais pura de atingir esse objetivo.

Praticando a generosidade

A generosidade é algo que quando praticado te dará uma satisfação imediata, seja em qual for o ambiente que ela seja praticada. (Foto: godscareerguide.com)

 

Ser bonzinho demais no trabalho pode ser arriscado?

Parece arriscado, mas não é. Viver auto-centrado é o caminho arriscado. Uma vez que você começar a praticar a generosidade genuína, você vai sentir um renovado senso de propósito e o cumprimento da construção de relações verdadeiramente autênticas. Você vai adicionar um atributo poderoso e atraente para a sua marca pessoal. Você vai se sentir bem sobre como você fez alguém se sentir. Você vai aumentar sua satisfação pessoal, sabendo que você fez a diferença. Em um mundo onde muitos de nós sentem-se marginalizados no local de trabalho ou pensando que nossas contribuições não contam, a satisfação que vem da generosidade genuína é palpável. Ela chama atenção para o fato de que todo mundo tem algo de valioso para oferecer; nós não somos pequenas engrenagens, substituíveis em uma roda muito gigante, mas sim partes essenciais de uma construção muito mais sólida.

Exemplos de comportamentos ideais no ambiente de trabalho

Incentivar o seu melhor funcionário a se juntar a uma outra parte da organização, porque você sabe que a empresa precisa dele lá, e será um bom passo na carreira para ele.

Enviar um problema para resolução em outro departamento, porque você sabe que você tem as habilidades únicas, necessárias, mas sabe que não dá para abraçar o mundo na resolução de problemas.

Dar o seu assento de primeira classe a um membro de sua equipe que tem problemas crônicos, mesmo se isso significar que você vai estar sentado no assento do meio da classe econômica em uma viagem de 12 horas.

Encaminhar uma oportunidade atraente recebida a um colega porque você acredita que ele é a melhor pessoa para isso e vai fazer um grande trabalho, mesmo que você goste de receber a oportunidade para si mesmo.

Publicamente reconhecer a contribuição de alguém apesar de ter tido uma relação de trabalho difícil com essa pessoa.

Deixar um colega de trabalho ter o escritório maior, enquanto você fica com um menor, porque você sabe que ele tem uma maior necessidade de privacidade.

As pessoas mais genuinamente generosas buscam oportunidades para dar. Eles ouvem as necessidades, eles passam o tempo realmente para conhecer os outros, e eles fazem da generosidade genuína um hábito.

Como demonstrar generosidade genuína?

Dê às pessoas uma sensação de importância

Considere o que ações pequenas você poderia tomar intencionalmente hoje para fazer as pessoa sentirem que o trabalho que eles fazem é importante, e que eles próprios, como as pessoas, são importantes para a sua equipe.

Dê a sua opinião, não críticas

Se a crítica frequente é o seu estilo de gestão, considere algumas dessas perguntas: É a sua motivação genuína, ou é para ganhar pontos? Você está fazendo a crítica no momento certo? Você está parando para refletir como você pode entregar a crítica enquanto ainda respeitando a outra pessoa?

Dê às pessoas visibilidade

Dar visibilidade às pessoas na sua organização é um dom especial para ajudar os outros brilhar e crescer. Passe a pensar como você pode dar às pessoas mais acesso a altos executivos, e mais acesso ao seu chefe. Considere também que as pessoas gostam de saber que o chefe de seu chefe sabe as grandes contribuições que fizeram para um projeto, ou sobre o seu esforço significativo por escrito de um relatório que leva o nome do funcionário. Sabendo que o nosso líder está nos representando bem para a alta gerência é um motivador de alta produtividade, e gera intensa fidelidade.

Dê anonimamente

Real generosidade de espírito está em fazer algo por alguém sem o seu conhecimento. Pense em uma ou duas pessoas merecedoras de sua organização que você pode ajudar com melhoras para carreira. Talvez dizer algo positivo sobre o trabalho a pessoa a alguém em posição de autoridade?

Saiba quando perdoar

Martin Luther King disse que “A velha lei do olho por olho deixa todo mundo cego.” Uma característica de uma pessoa generosa é uma total falta de ressentimento, um ato nobre e repetido na história por grandes líderes, como Nelson Mandela e  Gandhi. Quem você precisa perdoar? O que você precisa para deixar o assunto acabar?

Dê incentivo

Olhe ao seu redor e escolher alguém que precisa de encorajamento, e ofereça isso a eles. Considere que algumas pessoas nunca receberam incentivo em suas vidas, nem de professores, nem de patrões, nem mesmo dos próprios pais.

Dê oportunidade

Um dos presentes mais valiosos que podemos dar a alguém é dar-lhes uma chance. Existe alguém agora a quem você poderia dar uma segunda chance para provar seu valor? Em caso afirmativo, que medidas ativas você pode tomar para criar as circunstâncias certas para eles terem sucesso? O que você pode fazer para abrir portas para alguém que é bem merecedor, mas não bem posicionado para ser notado?

Compartilhe seu conhecimento e experiência

Resolva torna-se um compartilhador das metodologias. Que conhecimento, perícia ou melhores práticas você pode compartilhar com os outros como forma de enriquecê-los? Para se inspirar, leia sobre outros líderes que praticam o ensino em sua organização para benefício de todos. Preencha seu calendário com horas gastas ensinando funcionários, gerentes e executivos, eduque-os com uma filosofia sobre como liderar em uma indústria em que a inovação vai envelhecer muito rapidamente.

Dê apoio moral

Falar em público é conhecido por ser um dos maiores medos experimentados por milhões de pessoas. A próxima vez que você assistir a uma apresentação feita por um membro da equipe que é mais tímido, pratique oferecer apoio moral. O mais simples dos atos generosos é desligar os telefones e computadores, dar o aval de concordância, e praticar olhar com olhos bondosos.

“O hábito de ajudar aumenta o desejo de ajudar.” Ser generoso é como construir um músculo. Ele requer prática e persistência mas, uma vez que se torna habitual, você vai emergir como um líder forte.

O que você já fez de generoso hoje? Como pretende se tornar um profissional mais generoso?

Um comentário para “Por que ser generoso no seu trabalho e por que isso é importante para sua carreira?”

  1. Maria Eudení de Lima

    Sou gerente administrativo de um hotel geriátrico, onde os relacionamentos são fundamentais para a qualidade de nossos produtos (hospedagem de longa permanência para idosos), considerei as dicas sobre relacionamentos são ótimas.

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)