Boas intenções não são suficientes. Se manter no plano é um trabalho árduo. Nós, seres humanos, somos notoriamente pobres ao acompanhar nossos planos. Nós tendemos a ser ambivalentes em fazer uma mudança. Queremos perder peso, mas também gostamos de comer. As pessoas podem resistir ao desejo e tentação usando as seguintes estratégias para desenvolver o autocontrole.

Como desenvolver autocontrole com sua atitude mudada?

Nos ver como livres e responsáveis por nossas ações é a base para o autocontrole. A evidência mostra que as pessoas funcionam melhor e são mais capazes de lidar com o estresse quando sentem que estão no controle. Acredite que as coisas estão além do seu controle e provavelmente elas estarão.

Objetivos ajudam a manter as pessoas no autocontrole

É preciso ter um objetivo. Os objetivos basicamente orientam nossas escolhas. Quanto mais específico o objetivo, mais as pessoas são capazes de alcançá-los. Um objetivo altamente abstrato pode não ser acionável. Por exemplo, em vez de perseguir o objetivo de “ser saudável”, uma pessoa pode adotar o objetivo de “andar pelo menos 30 minutos todos os dias”, o que é mais concreto e mais fácil de monitorar. Os objetivos efetivos seguem os critérios para funcionar, sendo sempre específicos, mensuráveis, atingíveis, realistas e baseados no tempo.

O automonitoramento para o autocontrole

O auto-monitoramento é uma forma de feedback. Monitorar o progresso em direção à realização de metas ajuda a se concentrar em atividades relevantes para o objetivo. As dietas bem-sucedidas contam calorias e, de outro modo, monitoram cuidadosamente a ingestão de alimentos e é onde a interrupção do monitoramento muitas vezes mina os esforços dietéticos. O auto-monitoramento nos ajuda a tornar especialistas em nossos comportamentos. Ao fazê-lo, tornará os hábitos menos difíceis de mudar.

Autocontrole no dia a dia

O autocontrole é uma habilidade para a vida que é essencial, mas poucas pessoas dão o valor necessário a ele. (Foto: Huffington Post)

Motivação para o autocontrole

Quanto mais você quiser o objetivo, mais provável estar disposto a fazer os esforços e os sacrifícios necessários para alcançá-los. A força do compromisso das pessoas com algo depende do seu valor e da chance de que o valor, de fato, ocorra. A relação entre esses dois fatores é multiplicativa. Isso significa que não haverá motivação para a busca de objetivos se o valor do objetivo for zero, não importa quão alta seja a probabilidade de sucesso. Da mesma forma, não haverá motivação se a chance esperada de sucesso for bastante baixa.

Autoconfiança para mais autocontrole

Um componente importante da motivação é a habilidade autoperceptiva da pessoa para alcançá-lo. As pessoas não criarão muita motivação para mudar se acreditam que é impossível para elas. Em face das dificuldades, as pessoas com poucas crenças de autoconfiança desenvolvem facilmente duvidas sobre sua capacidade de realizar a tarefa em questão, enquanto que aqueles com fortes convicções são mais propensos a continuarem seus esforços para dominar uma tarefa quando surgem dificuldades.

Autocontrole através da força de vontade.

A força de vontade representa força ou energia psicológica que se usa para resistir a outras tentações, afim de trabalhar em direção ao objetivo. O autocontrole depende de um recurso limitado que funciona como uma força ou energia. As pessoas consomem esse recurso quando exercem autocontrole. Assim, ter apenas um objetivo torna o autocontrole mais bem sucedido do que quando as pessoas tem dois ou mais objetivos conflitantes. Faça uma coisa e faça bem.

Evitando a tentação para melhorar o autocontrole

Evitar a tentação exige antecipar situações em que desejos indesejados possam surgir e tomar medidas proativas para garantir que você não sucumbe aos desejos problemáticos. Por exemplo, evitar a exposição a situações tentadoras pode incluir tornar os alimentos não saudáveis ​​menos visíveis, como manter a casa sem alimentos não saudáveis.

A mentalidade para o autocontrole

“Por quê” é uma pergunta que incentiva o pensamento a longo prazo, ou a conveniência de prosseguir em uma ação. Em contrapartida, as perguntas de “como” levam a mente ao presente e consideram a viabilidade do objetivo. De uma perspectiva distante, vemos a floresta, mas, numa perspectiva próxima, vemos as árvores. Assim, a distância prejudica a nossa capacidade de identificar detalhes específicos da escolha. Quando decidimos uma dieta, por exemplo, fazemos isso por causa de seus resultados atraentes para nós. No entanto, também há detalhes de baixo nível associados a esta tarefa, como ir a academia, evitar os nossos lanches favoritos, e assim por diante. O por quê das perguntas pode beneficiar as pessoas para continuar a manter um novo hábito (por exemplo, exercício diário ou dieta). Aquele que tem um por quê para viver pode suportar quase qualquer coisa.

 Autocontrole como padrão de comportamento

Embora a independência física de hoje e de amanhã seja real o suficiente, o fato é que as ações hoje afetam ações no futuro. O autocontrole vem de escolher “padrões” de comportamento ao longo do tempo, em vez de “atos” individuais. A decisão de parar de fumar é, de fato, a decisão de iniciar um padrão de comportamento. Fumar o cigarro uma noite é deixar de perceber a conexão entre o ato da noite e o padrão de atos durante muitas noites e dias. Não fumar uma noite torna mais fácil não fumar amanhã e não fumar amanhã torna mais fácil não fumar no dia seguinte, e assim por diante.

Objetivos automatizados para o autocontrole

As metas podem ser aprimoradas por uma estratégia de planejamento simples: fazer planos que conectem a uma determinada situação desencadeante com um comportamento concreto. Por exemplo, se você pedir algo para jantar em um restaurante, então vai escolher uma refeição vegetariana. Ou se as pessoas te maltratarem, então você vai respirar fundo e contar até 10. As práticas repetidas fortalecem a associação entre as pistas situacionais específicas e a resposta pretendida. Formando planos dessa natureza pode ajudar a terceirizar o controle comportamental para o meio ambiente para evitar o esgotamento de força de vontade. E a pessoa está agora no piloto automático, com a ação planejada sendo acionada diretamente pela sugestão especificada. Assim, quando as pessoas estão estressadas ou distraídas, elas podem recair sobre os bons hábitos.

Como vocês trabalham o autocontrole? Que dicas dariam para quem precisa trabalhar essa característica?

Marcadores:

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)