Ter uma carreira de sucesso não requer ser bonito como Brad Pitt ou a Angelina Jolie, mas a aparência importa sim para sua carreira. Isso inclui não apenas a matéria-prima, que é a sua boa aparência natural, mas suas roupas e cuidados de saúde.

Temos poucas pesquisas sobre o tema no Brasil. Mas em nossa busca por mais informações, descobrimos uma pesquisa do Centro de Emprego de Wisconsin, que obteve a informação de que 95 por cento dos empregadores são influenciados pela aparência de um candidato a emprego.

É bonito você achar que a lei funciona quanto a isso e não há diferenças entre as pessoas pela aparência. Mas julgando a subjetividade desta “análise” e a dificuldade em se obter provas de que o empregador criou um “Perfil Ideal” de trabalhador, você tem que abrir seus olhos e prestar atenção no que vamos dizer abaixo.

Boa Aparência

Uma pesquisa de 2010 pela Universidade de Ben-Gurion enviou a empregadores currículos idênticos com diferentes fotos em anexo ou nenhuma foto. O estudo concluiu que um homem de aparência mediana precisa enviar o dobro de currículos para conquistar uma entrevista do que os colegas de boa aparência. Com candidatas do sexo feminino, mulheres de boa aparência fizeram pior do que os candidatos médios e mulheres sem foto foram as mais cobiçadas. Empregadores julgaram que homens que apresentaram fotos aparentavam confiança e as mulheres que o fizeram foram assumidas a estarem usando sua aparência,

Roupas

Empregadores formam suas impressões com base em suas roupas assim como o seu corpo. Para muitos empregadores, roupas desleixadas e pobre preparação sugerem hábitos de trabalho desleixados correspondentes. As roupas “certas” variam de acordo com o trabalho para o qual você está se candidatando. Um terno de três peças parece muito se você quer trabalhar em um armazém ou como um engenheiro florestal. Roupas casuais não vão funcionar bem se você está se candidatando como um associado a uma empresa de advogados.

Problemas com aparência para um emprego

Até a sua altura pode influenciar muito o seu salário e sua contratação ou não para um emprego. (Foto: jobs.aol.com)

Peso

Gordura não é algo que os empregadores querem ver em um candidato a emprego. Se você está acima do peso, ele pode desencadear uma série de pressupostos, como que lhe falta a auto-disciplina ou que você não está motivado, por exemplo. Alguns empregadores também se preocupam que você vai desenvolver problemas de saúde que vão acabar por custar-lhes mais do que um candidato magro. Mesmo depois que você está contratado, o peso é importante. Trabalhadores “menos pesados” ganham menos do que colegas com uma média de peso, e os extremamente obesos ganham menos dinheiro ainda. Se seu corpo te trai e não tem como emagrecer alguns quilos, talvez seja ótimo você utilizar os serviços de um consultor de moda para te ajudar a escolher roupas que amenizem o peso.

Vale também um lembrete aos leitores: não estamos julgando ninguém pelo peso. Estamos apenas ajudando aqueles que precisam para conquistar uma vaga de emprego e fugindo do preconceito dos empregadores e recrutadores.

Altura

Assim como peso, altura pode afetar suas perspectivas de emprego. A Associação Americana de Psicologia confirmou isso em um estudo de 2004, onde descobriram que os indivíduos mais altos ganham mais. Mesmo 4 cm de altura adicionados podem aumentar o seu salário. Isso pode ser porque as pessoas mais altas são vistas como mais imponentes, especialmente em cargos de gerência. Uma teoria alternativa é que as pessoas mais altas realmente são mais qualificadas para empregos que exigem interação social porque eles têm mais confiança.

Considerações Finais

Contribuindo com uma experiência pessoal, já trabalhei em ambientes onde sofri preconceito por ser homem. No caso, era professor de Inglês de crianças e minha formação em Pedagogia era de certa forma uma afronta à algumas pessoas do meu ambiente de trabalho, já que historicamente esta é uma profissão feminina. Também já vi escolas deixando claro em suas ofertas de emprego que não contratariam professores homens.

Tudo hoje em dia pode ser uma desculpa par anão contratar alguém. Poucos querem dar uma chance aos “feios”, “fora do padrão”. Quando fiz o contrário da maior parte dos empregadores quando fui coordenador de uma escola, contratei dois excelentes profissionais (uma assistente e um professor) que foram muito criticados pelo meu supervisor. Este, por sua vez, tinha preconceito contra estrangeiros e um dos professores contratados era estrangeiro. Saí deste emprego por não concordar com estes preconceitos e por outros motivos.

Busque estar de certa forma no “padrão”, mas nunca deixe que isso seja seu guia principal na busca de um emprego. Afinal, se você for aprovado por uma empresa que pensa na aparência antes de suas habilidades, será que é esse mesmo o lugar que você vai querer estar todos os dias da semana?

Você já sofreu preconceito pelo peso ou aparência? Como lidou com a situação?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)