O teste paleográfico é um tipo de teste grafológico. A grafologia é uma técnica projetiva cujo objetivo é o estudo dos traços de personalidade dos indivíduos através da interpretação dos chamados aspectos gráficos da caligrafia. Algumas pessoas chamam isso de “psicologia da escrita”. Seus estudos estão bem avançados hoje em dia e podem auxiliar empregadores no processo de decisão na contratação de funcionários.

O que é grafologia?

Camilo Baldo (1622), professor italiano de filosofia da Universidade de Bolonha, fundou a Escola de Grafologia de Paris e publicou: “Como saber, através de um carta manuscrita, a personalidade e a natureza do autor”. É o primeiro livro que relaciona a escrita à personalidade.

Havia várias personalidades científicas da época que tentaram sistematizar a grafologia, como Godofredo Guillermo Leibnitz (1646-1716), Johann Caspar Lavater (1741-1801), Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832), Joan Louis Moreau de Sarthe, (1771-1826), Edouard Hocquart (1787-1870).

Abate Jean Hippolyte Michon: O verdadeiro “Pai da Grafologia” (1806-1881) foi quem propôs o termo “Grafologia”, nascido na França (o dia do grafólogo é comemorado em sua homenagem em 21 de novembro) e fundador da Sociedade de Grafologia de Paris em 1871.

Jules Crépieux-Jamin (1859-1940), representante da grafologia moderna, introduziu a teoria que afirma que, por meio da análise de traços, determina-se a singularidade do indivíduo como um todo, que compreende personalidade, caráter e processos inconscientes de pensamento.

Ludwig Klages, (1872-1956), filósofo alemão, foi quem aplicou a teoria psicológica da Gestalt à grafologia. Ele introduziu o conceito de formniveau, ou nível de forma, como uma qualidade global da escrita. Ele publicou “Writing and Character” (1917).

Max Pulver, (1889-1952), foi quem introduziu a psicanálise na grafologia e desenvolveu a teoria do simbolismo do espaço.

Girolamo Moretti (1879-1963) foi um frade da ordem dos franciscanos. Em 191, ele publicou “Manuale di Grafología”.

Através da análise grafológica, é possível analisar padrões de escrita que identificam o estado psicológico de uma pessoa.

A grafologia é motivo de controvérsia desde há muito tempo. Aqueles que apoiam essa técnica garantem que o cérebro envie sinais ao longo dos músculos que implementam a escrita. Não é a mão que escreve, é o cérebro.

Um grafólogo treinado identifica as características pertinentes da caligrafia e a maneira como elas interagem. Através da descrição das cartas e da análise das assinaturas, é possível elaborar um relatório psicológico, confirmando o comportamento nas áreas intelectual, afetiva e social.

Teste palográfico

O teste palográfico, assim como testes de grafologia, tentam avaliar características da personalidade e caráter de um indivíduo. (Foto: The Teenager Today)

Movimentos grafológicos

A escola francesa de grafologia descreve sinais gráficos, letras isoladamente, mas uma pessoa não reflete sua personalidade apenas pela maneira como escreve a barra “t” ou a curva “g” ou a letra “a”.

A escola alemã, que tem uma visão gestual e integral da percepção do grafismo e entende a escrita como uma unidade, estuda os traços (letras), as formas, os movimentos, o ritmo do escritor e, por meio deles, descobrem a natureza, o caráter, o subconsciente pessoal, as emoções do escritor e detecta se há fixações nas fases do desenvolvimento psicossexual e analisa a evolução da escrita ao longo do tempo.

A escola Emocional, que se baseia no estudo de alterações sofridas pela escrita devido a mudanças emocionais do escritor e incorpora o conceito de “Lapsus Calami” a mudanças que correspondem a “Lapsus Linguae” nos deslizes freudianos, tem representantes como Rafael Scherman , que começou em 1912 na Alemanha e Kurt Honroth, um alemão estabelecido na Argentina.

Para entender o que é grafologia, é essencial conhecer a escola simbólica suíça e o simbolismo do espaço de Max Pulver. Pulver foi um grande investigador nascido em Berna, em 1889, que antes de direcionar seus interesses para a grafologia e a psicologia, publicou uma série de obras literárias e filosóficas que expressavam os contrastes simbólicos na escrita.

Este investigador ressalta que existem símbolos arcaicos que carregamos dentro de nós desde os tempos do amanhecer. Associações mentais que usamos diariamente na vida que nos guiam sem ter consciência disso. Os seres humanos fazem algumas associações como:

Acima, o céu, Deus, dia, luz, espiritualidade.

Abaixo, noite, escuridão, profundidade, instintos.

Certo, reunir, o futuro, extroversão, conquistas, o pai.

Deixou ontem, o passado, o começo, a mãe, o medo do ego de continuar, a introversão.

Centro, presente, hoje, eventos imediatos, eu, autocontrole.

Esses símbolos que revelamos no espaço gráfico de maneira inconsciente correspondem ao nosso comportamento. O simbolismo do espaço é aplicado à folha de papel branca e ao texto escrito. Dependendo da área da folha de papel branca que foi selecionada para escrever ou desenhar, uma interpretação diferente ocorrerá.

Simbolismo na grafologia

Através do simbolismo do espaço, identificamos as seguintes áreas:

A Área Central, onde colocamos o “EGO” da teoria do sistema psicológico desenvolvido por Freud, que representa o princípio da realidade e do presente. Corresponde às características afetivas do Ego em relação a si mesma no tempo presente. Quando as pessoas escrevem predominantemente nesta zona, é interpretado que elas precisam ser o “centro” dos outros.

A Área Superior simboliza espiritualidade, idealismo, imaginação, intelecto. Freud, em sua teoria do sistema psicológico, chama isso de “SUPEREGO”

A Área Inferior representa a parte instintiva da personalidade, o motor, o biológico e o concreto. Para Freud, isso é chamado de ID.

A Área Esquerda simboliza os aspectos regressivos da personalidade, incapacidade de se destacar do útero da mãe, o imaturo “EGO”. Os laços primários, o passado, a introversão e a reflexão do indivíduo são analisados ​​aqui.

A Área Certa fala sobre pessoas que foram capazes de se separar de sua mãe, que geraram o crescimento de um “EGO” maduro. Refere-se às relações afetivas com o mundo, a comunicação e o futuro.

O que é o teste palográfico?

O teste palográfico é um tipo de testegrafológico, onde a escrita do indivíduo será analisada de acordo com traços, formas dos traços, como eles são feitos, etc.

Ao analisar um determinado desenho ou trço, observa-se a posição do desenho, que é então analisada de acordo com o gabarito. Um desenho mais à esquerda ou à direita de uma folha podem significar duas coisas completamente diferentes. Traços com formas, grossura, ou direções diferentes podem também significar outras coisas.

Absolutamente tudo em um texto ou desenho é revestido no simbolismo do espaço. Da relação entre espaços escritos e vazios à descrição das letras cada uma individualmente. De acordo com o simbolismo do espaço gráfico, o comportamento é refletido na escrita.

Os grafologistas consideram a escrita como um registro gráfico do escritor e não apenas como linguagem escrita. Nos movimentos da caligrafia, os indivíduos expressam seu tipo de inteligência, sensibilidade, tendências, impulsos, reações, enfim: eles expressam sua personalidade.

Onde a grafologia é usada hoje em dia??

A grafologia é uma ferramenta para conhecer a nós mesmos e a quem nos rodeia. A análise grafológica tem várias aplicações. A possibilidade de conhecer profundamente as pessoas por meio de um método aparentemente tão simples, como a análise das características da caligrafia, oferece à grafologia a oportunidade de ser utilizada em muitos campos do conhecimento.

No campo da psicologia, a grafologia é um teste de personalidade e uma investigação profunda do ser humano. Contribui para o diagnóstico do paciente, para a identificação da tipologia e alterações da personalidade.

A análise das modificações que a escrita sofre ao longo de um tratamento permite conhecer a evolução de um paciente, uma vez que os símbolos gráficos alteram seu aspecto para o mesmo indivíduo, juntamente com a evolução de seu psiquismo.

Na medicina clínica e na psiquiatria, os testes grafológicos orientam o profissional de medicina no diagnóstico de doenças mentais, psicomotoras e somáticas e nos registros de evolução dos tratamentos. Através da grafopatologia, problemas físicos podem ser detectados antes mesmo de aparecerem. A análise comparativa de uma pessoa permite o diagnóstico prematuro de distúrbios respiratórios, circulatórios e de motilidade.

Na área de RH, funcionários podem ser testados e avaliados, mostrando aspectos que podem significar sua contratação ou não por uma empresa.

Está provado que algumas letras têm mais importância que outras devido à maneira como os traços são executados ou à maneira como eles se conectam entre si, o que confirma o que foi analisado no texto. As letras g, t, a, d, r, me são especialmente estudadas.

Outro elemento importante para a grafologia é a análise de assinaturas. A assinatura é a expressão mais autêntica da personalidade. Mas lembre-se de que uma assinatura isolada pode revelar muito pouca informação. O texto e a assinatura devem ser analisados ​​em conjunto para chegar a interpretações confiáveis.

Devo usar a grafologia nos testes para minha empresa?

Escrever é um meio de comunicação com o mundo exterior. É o meio através do qual nos apresentamos; portanto, o texto é um tipo de cartão de visita que usamos nas relações sociais, o que indica nossa atitude e comportamento em relação aos outros. Do ponto de vista psicológico, o texto representa simbolicamente o “ego social”, ou seja, o modo como o indivíduo se mostra na sociedade, em seus ambientes sociais e profissionais.

A assinatura expressa o “ego íntimo”, como o indivíduo se vê, suas ambições, complexos, seus sentimentos de superioridade ou inferioridade, seus traços dominantes e seu caráter. Dentro da assinatura, distinguimos o nome, como seu ego real, o sobrenome, como a imagem da família e a própria assinatura, que é o rabisco que geralmente acompanha a assinatura que simboliza a fronteira onde o ego íntimo é colocado.

Um psicólogo pode escolher testes psicológicos melhores ou complementares de acordo com as necessidades de sua empresa. Testes não devem ser vistos antes de serem realizados, evitando que os resultados sejam manipulados. Isso é bom para até quem está desesperado por um emprego, pois mentir ou manipular os resultados poderá fazer com que você entre em uma vaga que não combina com seu perfil, e cause sua demissão.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)