O número de crianças recebendo apoio extra a partir de um tutor privado fora da escola, afim de passar por exames nacionais ou provas de gramática na escola, para alcançar seus pares, ou como resultado de pais ambiciosos, está em ascensão. Até adultos também já procuram estas ferramentas para trabalhar algumas habilidades específicas para concursos, processos seletivos e até para a faculdade.

Mas é bom aulas particulares não vai colocá-lo sob muita pressão? E o que acontece com aqueles que não podem pagar por isso: eles estão em desvantagem?

Quando surge a pergunta?

Geralmente ela surge quando as pessoas se deparam com as crescentes demandas do mercado. Seja este o mercado profissional ou o acadêmico, se tratando de uma vaga em um curso superior.

Alguns profissionais da área de educação apoiam a escolha dos pais para pagar aulas extra, mas outros acham que isso prejudica os processos naturais de ensino e aprendizagem, especialmente em disciplinas como matemática, onde os diferentes métodos podem ser aplicados, resultando em confusões entre aluno e professores.

Outra razão pela qual alguns pais estão optando por um tutor privado é que eles se sentem que turmas de 30 ou mais alunos não dá para um professor ter a energia, tempo ou recursos para dar atenção individual suficiente para cada aluno. Alguns acham – com ou sem razão – que eles precisam para completar aprendizado, porque alguns dos professores não têm uma formação específica para o assunto que está ensinando ou desenvolveram algum tipo de resistência com a disciplina ou o professor.

Trabalhando problemas específicos nas aulas particulares

Em aulas particulares, você pode tratar de alguns problemas específicos de aprendizado, algo que pode não haver tempo hábil no ensino tradicional. (Foto: chicago.cervantes.es)

Quão generalizada são as aulas particulares?

Aulas particulares são muito procuradas por alunos de classes média a alta, principalmente em finais de períodos, quando os alunos estão em recuperação ou precisam de melhores notas para passar. Outro período onde as aulas particulares é muito buscada são próximos de vestibulares, quando os alunos querem algumas aulas de reforços.

Adultos também procuram aulas particulares para reforçar seu conhecimento antes de concursos públicos. Raros são aqueles que querem estudar em aulas particulares para aprender a totalidade de uma matéria. Estes casos normalmente estão concentrados no ensino de idiomas, mas ainda há uma preferência para o aprendizado em turmas.

Quem não tem dinheiro para aulas particulares está em desvantagem?

Bem, vai depender da situação. Uma sala de aula é um ambiente muito complexo para ser avaliado, onde cada aula é diferente da outra e não há uma maneira uniforme para avaliar um professor ou um aluno. O acompanhamento individual de alunos é um sonho que está distante de todos os ambientes educacionais no Brasil, seja uma escola ou dentro de uma empresa. Neste acompanhamento compreensivo, um professor é capaz de identificar as dificuldades de um aluno e trabalhar de acordo com as necessidades e capacidades do mesmo, afim de desenvolver habilidades dormentes ou mesmo superar os obstáculos.

Idealmente, profissionais de educação em sala de aula deveriam ser capazes de solucionar tais problemas. Praticamente, muitos depositam tais responsabilidades nos professores particulares, pais e para a sociedade. Dificilmente os problemas e suas causas são sanados, pois mesmo professores particulares são buscados como remédios imediatos para problemas urgentes, e não para um acompanhamento constante dos alunos de forma gradual, plural e compreensiva.

Conclusão final: vale a pena pagar por aulas particulares?

Embora haja alguma evidência de que aulas particulares tem alguns resultados positivos, isto não é muito claro, pois os resultados são imediatistas e não perduram por muito tempo. No final, a escolha pode ser feita apenas por você mesmo, tendo em conta o seguinte:

  • Quão bem você entende os assuntos a serem estudados por si mesmo e se você tem ou não tempo para receber treinamento extra;
  • Quão bem você acha que seu filho iria responder ao ensino de um professor privado;
  • Se seus professores ou os de seus filhos poderiam oferecer o suporte extra na escola;
  • Se você ou o seu filho tem o potencial de melhorar suas notas e/ou conhecimento;
  • Se você vai ou não ser eventualmente disputar uma vaga concorrida em uma escola seletiva com excesso de procura ou um concurso muito concorrido;
  • Se você ou o seu filho está visando em última análise, uma vaga na universidade;
  • Se suas finanças e as da família podem suportar os custos;
  • Motivos pessoais.
A necessidade ou não dos professores particulares

Vale lembrar: nem todo mundo precisa de um professor particular para aprender a lidar com suas dificuldades. (Foto: hispanic-horizons.org)

Aprender e querer aprender é algo que depende muito mais de você do que qualquer tutor, professor ou metodologia. Não adiantará nada você pagar altos valores para uma aula particular se você ou seu filho tem uma resistência para o assunto que está sendo dado. Porém , um bom professor particular também poderá ser capaz de quebrar esta resistência, facilitando com que você aprenda e compreenda um dado tópico.

O processo de ensino e aprendizagem é tão subjetivo que assumir que uma aula particular é ruim ou boa é limitar demais nossa visão sobre o assunto. A decisão e os resultados dependerão de algo bem subjetivo também, que é sua própria avaliação. E cada professor é diferente. Haverão alguns bons e outros ruins. Pode ser que com um deles você aprenda bastante, mas com outro, você não aprenda nada.

Vale lembrar que com a internet, o acesso à informação e ao conhecimento fica cada vez mais fácil. Talvez você consiga aprender sozinho. Se as coisas ficarem muito difíceis, você pode buscar a opção de um professor particular, se tiver os recursos para isso.  Tudo pode valer a pena, sabendo escolher e avaliando bem o “serviço” prestado. Escolha, pense bem e conquiste o conhecimento com todas as ferramentas que você puder ter acesso, bastando apenas que você raciocine o quão independente ou não você é para o aprendizado.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)