Estamos acostumados a ouvir histórias sobre chefes abusivos, amigos de trabalho que tem funções acumuladas, trabalhadores sendo realocados de funções sem motivos e muitas outras histórias que atrapalham o bom desempenho em um trabalho, seja qual ele for. Temos de conhecer nossos direitos para saber que algumas destas situações podem caracterizar assédio moral.

O assédio moral é a exposição de ou mais trabalhadores a situações humilhantes, constrangedoras, repetitivas, prolongadas ou acumuladas durante uma jornada de trabalho e no exercício de suas funções. É mais comumente associado em relações hierárquicas, entre chefes e subordinados, mas pode acontecer também no nível horizontal, entre colegas de trabalho. É completamente desumano e antiético, algo como um bullying no ambiente de trabalho, mas muitas vezes mascarado por meio do protecionismo dado a alguns trabalhadores dentro da empresa e às pessoas que tem cargos de chefia lá dentro.

Na grande maioria das vezes, o trabalhador é forçado a desistir do emprego devido à pressão mental e física que sofre dentro do ambiente de trabalho. Destes casos, muitos ainda tem sequelas, como problemas de estresse, depressão, burnout, dependência de drogas e até alcoolismo. Já foram relatados casos onde empregados voltaram até a urinar durante a noite na cama devido à pressão que sofriam no ambiente de trabalho.

Problemas no ambiente de trabalho

Cuidado: um chefe abusivo, que humilhas as pessoas e os fazem passar por situações humilhantes está fazendo assédio moral contra seus subordinados. (Foto: noticiasdeitauna.com.br)

Os assediadores raramente percebem o assédio. Em nossa cultural organizacional, o papel do “chefe mandão” ou do “colega gozador” ainda são encarados com normalidade, algo absurdo para os tempos modernos. É a degradação deliberada das condições de trabalho. A vítima escolhida é isolada do grupo sem explicações, passando a ser hostilizada, ridicularizada, inferiorizada, culpabilizada e desacreditada diante dos pares. Estes, por medo do desemprego e a vergonha de serem também humilhados juntamente ao estímulo constante em rumo à competitividade, rompem laços afetivos com a vítima e freqüentemente reproduzem as ações do agressor no ambiente de trabalho, enquanto a vitima vai gradativamente se desestabilizando e fragilizando, perdendo sua auto-estima.

O abuso também ocorre sobre os chefes, quando estes são sobrecarregados com cargas de trabalho abusivas ou ameaçados constantemente a serem substituídos de seus cargos por outras pessoas, caso não cumpram metas. Em qualquer um dos casos, é necessário que seja comprovada as seguintes situações, documentalmente e através de testemunhas:

  • Repetição sistemática do abuso;
  • Intencionalidade (forçar o outro a abrir mão do emprego);
  • Direcionalidade (uma pessoa do grupo é escolhida como bode expiatório);
  • Temporalidade (durante a jornada, por dias e meses);
  • Degradação deliberada das condições de trabalho.

Por ser algo privado, a vítima precisa efetuar esforços dobrados para conseguir provar na justiça o que sofreu, mas é possível conseguir provas técnicas obtidas de documentos (atas de reunião, fichas de acompanhamento de desempenho, etc), além de testemunhas idôneas para falar sobre o assédio moral cometido.

O assédio moral é algo sério, que não deve ser levado na levianidade por trabalhadores e empregadores. É causa de vários processos onde na grande maioria das vezes, o empregado tem causa  ganha por todo transtorno causado pelo ambiente de trabalho. Portanto, é muito importante criar cada dia mais um ambiente saudável e que atraia as pessoas a trabalharem com alegria, felicidade e assim, terem o melhor desempenho possível, sabendo que a empresa realmente se importa com elas.

20 comentários para “O que é assédio moral?”

  1. Edna dos Santos

    Gostei me ajudou muito.pois estou sendo perseguida por meu chefe preciso de ajuda.

    Responder
  2. Vilma

    Apos um acidente de trabalho onde fiquei afastada por 15 dias.
    No retorno o ortopedista me concedeu um atestado, dizendo que?
    Não poderia fazer esforço físico até o témino do tratamento para uma melhor
    Evolução.
    Ao entregar após uma semana fui chamada no RH, onde a funcionária Maria Mocelin disse : Você não pode mais exercer tua função ( Enfermagem ) e vai ter que trocar de tuno da noite para o dia, o que me prejudicaria nos meus orçamentos, pois deixava com isso de receber o adicional noturno.
    Fui converasr com minha Enfermeira Chefe, neste momento, Maria Mocelin entrou porta aentro em gritos falando para minha chefe, que já ia tomar providencias. Ligou para a secretaria de saúde e retornou dizendo, Pronto você vai passar por avaliação do ortopedista da secretaria e vai JÁ para a pericia médica,
    Já vou ver um setor de dia para você.
    Tudo isso sem ouvir o que a minha chefe ou eu tinha a dizer, Isso ainda me afeta pios me sinto indignada, tenho 35 anos trabalhados e nunca passei por uma situação tão constrangedora como essa.
    Isso caracteriza assédio moral? Minha chefe ficou sem ter o que dizer.

    Responder
    • Equipe Ponto Rh

      Porque houve o pedido de troca de turno? Qual função você exerce no trabalho?

      Responder
  3. Vilma de Fatima Alves de Lima

    Onde devo recorrer?
    A chefe que presenciou o fato aposentou-se.
    Como faço para produzir provar?
    Seus colegas de setor ouviram tudo,
    Mas acho que vão se omitir por medo.

    Responder
    • Equipe Ponto Rh

      Documentos? Tem mais testemunhas? Faça uma denúncia anônima ao ministério do trabalho e converse também com o sindicato da sua categoria, para saber quais provas podem ou não ser aceitas.

      Responder
  4. Priscila

    Boa Tarde! Estou trabalhando em uma empresa familiar e todos os dias sou cobrada por projetos a fazer, o caso é que sou designer e todo projeto demoro em torno de 1 semana para finalizar, pois na empresa não exerço somente essa função, ajudo na emissão de notas fiscais, compro caixas e adesivos, ajudo a organizar pedidos e orçamentos, tenho muitas outras funções… Mas mesmo assim meu chefe fica todos os dias me cobrando os projetos, ele acha que consigo resolver em questão de horas um projeto 3d. Gostaria se essa cobrança diaria e ele ficar me enviando os e-mails que recebe dos clientes que por sua vez ele não informa um prazo para receber os projetos não entendem que isso demora a ficar pronto é alguma forma de assedio moral? Estou tão esgotada de cobranças que já pensei ate em largar a carreira, pedir demissão, eu já tentei explicar que não consigo fazer duas coisas ao mesmo tempo, nem fazer projetos em 3d em questão de horas… O que eu faço? Por favor me responda

    Responder
    • Equipe Ponto Rh

      Tente, primeiro de tudo, conversar com seu chefe. Escreva tudo que você está falando, registrando também todo o tempo que você demora para cada tarefa. Mostre para ele seu dia a dia para que ele entenda como é o funcionamento do seu trabalho. Talvez falte só ele ver isso para entender o seu trabalho e, assim, passar a fazer cobranças mais realistas.

      Responder
  5. Wagner

    Minha pergunta é a seguinte: trabalho em uma fábrica de costura e tenho minha carteira assinada como costureiro, após terminamos as peças ela vai para uma revisão com outra pessoa que ganha mais que eu! agora estão querendo cortar gastos e mandaram alguns revisores embora e ficaram em menos quantidade! Agora eles querem que façamos a costura e se algum revisor achar uma peça falha eles pedem para revisarmos todas as peças que fizemos desde o começo do turno até o memento do erro encontrado! Isso é considerado desvio de função?

    Responder
    • Equipe Ponto Rh

      Wagner, você tem que verificar isso no seu contrato e na Convenção de Trabalho da sua categoria. Converse com seu sindicato para esclarecimentos.

      Responder
  6. Thabata

    Olá, venho sofrendo algumas “perseguições” no meu ambiente de trabalho, pessoas que fazem de tudo para me desmoralizar perante os outros! Armações para que eu seja punida!
    Acontece que, minha gerente não é das mais compreensivas e não me ajuda em nada! Só sabe gritar e apontar erros que nem existem! Agora estão me pressionando todos os dias para que eu sinta vontade de pedir demissão! Isso pode ser caracterizado como assédio moral? Como devo prosseguir neste caso?

    Responder
  7. Charles

    Oi boa noite trabalho em uma sou registrado em uma empresa mas trabalho pra mas 5 outras e isso e certo

    Responder
    • Equipe Ponto Rh

      Depende, Charles. Sua empresa pode prestar serviços para essas outras empresas, e não há nada de errado nisso.

      Responder
  8. Karen

    Olá, a minha situação é a seguinte. Logo após ter entrado na empresa fiquei gravida, após isso aquilo que era um paraiso se transformou num verdadeiro inferno, ate parece que tive uma super doença contagiosa. Os chefes que antes me tratavam bem e com igualdade começaram a me menosprezar, me mudaram de função dentro da empresa, continuo registrada na função a qual fui contratada porém, exerço outra totalmente diferente. Não pagam o salario nos dias corretos, já me fizeram ficar um mês sem receber meu vale transporte e refeição e tive que tirar do meu bolso para vir trabalhar, já chegaram a me pagar o salario ate com uma semana de atraso. O décimo terceiro nem se fala, atrasaram tanto na primeira como na segunda parcela. Me pressionam. Outro dia estava passando mal no banheiro, sendo que tem mais dois banheiros no andar em que trabalho e estavam vazios, minha chefe bate na porta e eu falei que ainda ia demorar, ela me manda uma mensagem com os seguintes dizeres: “Quero usar o banheiro! ” Sai do banheiro ainda passando mal, sentei na minha mesa e ela não foi ao banheiro coisa nenhuma, fez isso só pra “mostrar quem manda”. Não falei nada. Agora estou com a minha vó na UTI e minha mãe fraturou o pé esta no hospital, e estou gravida e tenho um milhão de coisas na cabeça, alem da pressão que sofro dentro do local de trabalho justamente acho que porque querem que eu peça “arrego” e saim ilesos sem pagar os meus direitos, tenho que manter calma sobre a situação na familia. Pedi uma licença para ver minha mãe agora após a cirurgia e me proibiram a saida, dizendo que se eu quiser ir eu vou assinar advertência, isto esta correto? O que posso fazer? Juro que estou entrando em pane com tudo que esta acontecendo. Eles estão corretos?

    Responder
    • Equipe Ponto Rh

      Reúna todas as provas e converse com um advogado trabalhista.

      Responder
  9. Aparecida

    Estou sendo humilhada no meu servico com ofensas e colocando apelidos como eu faço para provar o que eles dizem de mim.

    Responder
    • Equipe Ponto Rh

      Sua melhor opção é através de testemunhas, Aparecida, ou fazendo uma denúncia anônima para o o Ministério do Trabalho.

      Responder
  10. Israel

    Ganhar salario inferior aos colegas de trabalho mesmo exercendo a mesma atividade e com o mesmo tempo de experiencia é correto? Passo por essa situação já fazem alguns anos, participo de treinamentos de sistema, reuniões com clientes e gerentes, até mesmo ajudo muitos colegas por ter mais experiencia que eles… Já conversei com meu gestor mas ele sempre sai da conversa e não da prazo algum…

    Responder
    • Equipe Ponto Rh

      Se os colegas de trabalho receberam aumentos por tempo de trabalho, é correto. Mas se tem o mesmo tempo de empresa que você, não há problema.

      Responder
  11. Rosa

    Trabalho em uma empresa no Para e a sede fica em Minas Gerais, a supervisora por 2 vezes já me ameaçou de demissão por telefone, isso caracteriza assedio moral?

    Responder
    • Equipe Ponto Rh

      Não. Pode ser caracterizado como advertência verbal, dependendo do contexto.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)